A Coreia do Norte diz que “mais pacotes de presente” estão a caminho dos Estados Unidos

FONTE: O SUL – http://www.osul.com.br/

A Coreia do Norte disse nesta terça-feira (05) que endereçou recentemente um “pacote de presente” aos Estados Unidos e que mais “mais pacotes de presente” virão em seguida. Han Tae Song, embaixador da Coreia do Norte na ONU (Organização das Nações Unidas), em Genebra, fez a declaração em pronunciamento à Conferência do Desarmamento promovida pela entidade, dois dias depois que o país conduziu seu sexto e maior teste nuclear até o momento.

“As recentes medidas de autodefesa do meu país são pacotes de presente endereçados a ninguém mais que os EUA”, disse Han, ao fórum. “Os Estados Unidos continuarão a receber mais pacotes de presente do meu país enquanto continuarem recorrendo a provocações imprudentes e tentativas fúteis de colocar pressão na Coreia do Norte”, disse.

Na segunda-feira (04), os EUA pediram “as medidas mais duras possíveis” contra a Pyongyang. “Apenas as sanções mais duras vão nos possibilitar resolver esse problema pela diplomacia”, alegou a embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Nikki Haley, em uma reunião de emergência da entidade.

“Essa crise vai além da ONU”, disse Haley, que indicou que os EUA considerarão os países que façam negócios com a Coreia do Norte como órgãos que “prestam ajuda às temerárias e perigosas intenções nucleares de Pyongyang”.

Bomba H

O governo da Coreia do Norte anunciou na madrugada de domingo (03) que realizou um teste “bem-sucedido” com uma bomba de hidrogênio que pode ser carregada no novo míssil balístico intercontinental do país. O teste nuclear provocou um tremor de magnitude 6,3 graus no território norte-coreano.

Estados Unidos, China, Rússia, Japão, Coreia do Sul, França, Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) e União Europeia condenaram o teste. Eles repudiaram a nova violação das múltiplas resoluções da ONU e exigiram o fim dos programas nuclear e balístico da Coreia do Norte. Com o teste de domingo, o presidente da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica), Yukiya Amano, considerou que a Coreia do Norte se tornou uma “ameaça global”.

Na segunda-feira, o Ministério da Defesa da Coreia do Sul afirmou que a vizinha prepara um novo lançamento de míssil. O ministro da Defesa da Coreia do Sul, Song Young-Moo, disse acreditar que a Coreia do Norte miniaturizou com sucesso uma arma nuclear, ao tamanho de uma ogiva. “Acreditamos que entra em um míssil balístico intercontinental”, afirmou Song Young-Moo aos deputados no Parlamento.

China

A China condenou “energicamente” o novo teste nuclear realizado no domingo pela Coreia do Norte, segundo um comunicado do Ministério de Assuntos Exteriores do país. De acordo com a agência Reuters, o país também iniciou um monitoramento das condições radioativas na região.

O presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse que Seul “nunca permitirá que a Coreia do Norte continue avançando com suas tecnologias nucleares e de mísseis” em uma reunião urgente do Conselho Nacional de Segurança realizada após o novo teste de armamento realizado com uma bomba H, segundo a agência local Yonhap.

Moon também pediu que sejam impostas sanções “mais graves possíveis” por parte do Conselho de Segurança Organização das Nações Unidas para aumentar o isolamento do regime liderado por Kim Jong-un.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que o novo teste nuclear foi “uma ameaça de segurança séria e imediata” que “aumenta ainda mais o perigo do regime” e “compromete seriamente a paz e a segurança no país”.

Comentários