A inflação para o consumidor aumentou em Porto Alegre e em outras três capitais na última semana de abril

O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) aumentou em Porto Alegre e em outras três capitais pesquisadas na quarta semana de abril, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (03) pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Na Capital gaúcha, a inflação para o consumidor registrou variação de 0,55% no período. O resultado foi 0,09 ponto percentual superior ao verificado na semana anterior. Nesta edição, quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram aceleração em suas taxas de variação na cidade, entre as quais se destacam os grupos Educação, Leitura e Recreação e Alimentação, cujas taxas passaram de 0,36% para 0,91% e de 0,37% para 0,72%, respectivamente.

O IPC-S também subiu em Salvador (-0,12% para 0,09%), Brasília (0,22% para 0,24%) e Recife (0,20% para 0,27%). O índice caiu em Belo Horizonte (0,35% para 0,17%), Rio de Janeiro (0,60% para 0,53%) e São Paulo (0,27% para 0,25%).

No geral, o IPC-S apresentou variação de 0,34% na última semana de abril, 0,02 ponto percentual acima da taxa registrada na apuração anterior. Com esse resultado, o indicador acumula alta de 1,37% no ano e de 2,98% nos últimos 12 meses, conforme a FGV.

Inflação do aluguel

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), conhecido como a inflação do aluguel, variou 0,57% em abril, ante 0,64% no mês anterior. Com esse resultado, o índice acumula alta de 2,05% no ano e de 1,89% em 12 meses. Em abril de 2017, o índice havia caído 1,10% e acumulava alta de 3,37% em 12 meses. Os dados foram divulgados na semana passada pela FGV.

O IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo) teve variação de 0,71% em abril, após registrar alta de 0,89% no mês anterior. Na análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais subiu 0,50%, ante 0,57% em março.

A principal contribuição para esse resultado partiu do subgrupo alimentos in natura, cuja taxa de variação passou de 9,86% para 2,50% no mesmo período. O índice relativo a Bens Finais, que exclui os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, registrou alta de 0,08% em abril, contra queda de 0,10% no mês anterior.

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor) variou 0,31% em abril, ante 0,14% em março. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram avanço em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Alimentação (-0,08% para 0,18%). Nessa classe de despesa, vale citar o comportamento do item laticínios, cuja taxa passou de 0,15% para 1,09%.

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) subiu 0,28% em abril, contra 0,23% em março. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços ficou em 0,40%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,50%. O índice que representa o custo da Mão de Obra registrou variação de 0,18%. No mês anterior, esse índice não variou.

Comentários