A Secretaria de Saúde de Porto Alegre decidiu prorrogar a campanha de vacinação por 15 dias

A Secretaria Municipal de Saúde vai prorrogar a campanha de vacinação de crianças contra sarampo e poliomielite por 15 dias. A confirmação foi feita nesta quinta-feira (30) pelo titular da secretaria, Erno Harzheim, em Brasília, após reunião da Comissão Intergestores Tripartite (CIT) do Ministério da Saúde. O pedido de prorrogação do prazo e flexibilização da data do dia D foi formalizado ao Ministério da Saúde pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Com prazo estendido, explica Harzheim, a intenção é aumentar a cobertura vacinal de crianças de um ano a menores de cinco anos, alvo da campanha nacional em 2018. “O Dia D de vacinação será o sábado, 15 de setembro”, anunciou o secretário municipal de Saúde de Porto Alegre. Inicialmente, a campanha de vacinação de crianças terminaria nesta sexta-feira, 31. Como a meta de imunizar 95% do público-alvo não foi alcançada, o ministério decidiu prorrogar o prazo.

No Rio Grande do Sul, 140 cidades já ultrapassaram a meta prevista. Assim, a recomendação destina-se aos demais 357 municípios gaúchos ou aos que não chegarem ao patamar até esta sexta-feira. Na média, o Estado apresenta uma cobertura de 71%, o que corresponde a mais de 750 mil doses de vacinas aplicadas desde a abertura da campanha, no dia 6 de agosto.

Doses aplicadas por vacina e coberturas por idade: 1 ano: pólio – 88.416 doses, 62,5% / sarampo – 87.756 doses, 62,1%; 2 anos: pólio – 94.619 doses, 74,0% / sarampo – 94.272 doses, 73,7%; 3 anos: pólio – 99.832 doses, 77,6% / sarampo – 99.802 doses, 77,6%; 4 anos: pólio – 94.894 doses, 72,4% / sarampo – 94.735 doses, 72,3%. Total: pólio – 377.761 doses, 71,4% / sarampo – 376.565 doses, 71,2%.

Quantidade de municípios gaúchos por coberturas, segundo o SIPNI (Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações): acima de 95%: 140 municípios; entre 90 e 94%: 74 municípios; entre 80 e 89%: 122 municípios; entre 70 e 79%: 84 municípios; entre 60 e 69%: 52 municípios
Entre 50 e 59%: 21 municípios; abaixo dos 50%: 04 municípios.

Vacinas

As vacinas utilizadas para esta estratégia são a VOP (vacina oral da poliomielite) e a tríplice viral, que protege contra o sarampo, rubéola e caxumba. Esta também é uma oportunidade para que as crianças atualizem a vacinação de rotina.

A da pólio está disponível durante o ano todo nos postos e é indicada para crianças menores de 1 ano de idade em 3 doses: a primeira aos 2 meses, seguidas de outras duas, aos 4 e 6 meses, todas elas injetáveis. A proteção é completada com dois reforços da vacina oral, aos 15 meses e aos 4 anos.

Em relação ao sarampo, a proteção ocorre por meio da vacina tríplice viral, indicada no calendário básico quando a criança completa 1 ano. Aos 15 meses, ela é complementada com a vacina tetraviral, que protege contra as mesmas três da tríplice viral acrescida da varicela (ou catapora).

Sarampo

O sarampo não era registrado no País desde 2015. Contudo, neste ano, voltaram a ser registrados diversos casos, inclusive, tendo causado cinco mortes no Norte do País. No RS, até o momento, são 23 casos confirmados, dos quais 16 foram em Porto Alegre. Os demais ocorreram em residentes de São Luiz Gonzaga (1 caso), Vacaria (1), Viamão (3) e Alvorada (2).

Pólio

Também chamada de poliomielite ou paralisia infantil, está erradicada do Brasil desde 1994, com o último caso registrado no Estado em 1983. Neste modelo da campanha, a vacinação é indiscriminada, ou seja, indicada para todas as crianças dessa faixa etária, independente se estão com as doses de rotina em dia ou não e desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Comentários