Advocacia-Geral da União pede que o Supremo reconsidere a decisão que suspendeu a nomeação de Ramagem para a Polícia Federal

A AGU (Advocacia-Geral da União) pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que reconsidere a decisão liminar que suspendeu a nomeação do delegado Alexandre Ramagem para ocupar o cargo de diretor-geral da PF (Polícia Federal).

Foi solicitado que a Corte libere a validação do ato de nomeação de Ramagem, que é amigo da família do presidente Jair Bolsonaro. Na semana passada, o ministro do STF Alexandre de Moraes concedeu uma liminar impedindo a posse de Ramagem. Para ele, há indícios de que a nomeação não respeitava os princípios da legalidade, moralidade e impessoalidade – o que configura desvio de finalidade.

Após a decisão, Bolsonaro afirmou que iria recorrer ao STF para insistir no nome de Ramagem, mas nomeou o gaúcho Rolando Alexandre de Souza para comandar a corporação. O delegado, natural de Santa Maria, já assumiu o cargo.

Comentários