Agentes da Força Nacional de Segurança começam a atuar nesta terça-feira em Porto Alegre

O vice-governador José Paulo Cairoli, coordenador do Gabinete de Gestão da Segurança Pública do governo do Estado, comandou nesta segunda-feira (29) a primeira reunião de trabalho à frente da Secretaria da Segurança Pública, após a chegada de 120 agentes da Força Nacional de Segurança para auxiliar a Polícia Militar em Porto Alegre. Ficou definido uma ação de reconhecimento, na tarde de hoje, dos principais pontos da Capital, por parte dos agentes da Força Nacional, acompanhados da Brigada Militar. Amanhã (30), começam as operações de policiamento ostensivo, após uma formatura às 6h na Academia de Polícia Militar.

Diante da cúpula da Segurança, Cairoli tratou, entre outros temas, da aceleração de processos para o enfrentamento da criminalidade no Estado. Na pauta do encontro, a busca por um processo ágil de aquisição emergencial de viaturas para as polícias e a ampliação de vagas no sistema prisional para dar vazão às ações da Brigada Militar e da Polícia Civil, em conjunto com a Força Nacional de Segurança.

Auxílio

No domingo (28), 120 agentes da Força desembarcaram em Porto Alegre, vindos do Rio de Janeiro para auxiliar a Brigada Militar no policiamento da Capital, e foram recebidos pelo comandante-geral da Brigada Militar, coronel Alfeu Freitas Moreira, no 9º BPM (Batalhão de Polícia Militar), no bairro Praia de Belas.

Com armamento próprio e 30 veículos, os integrantes da Força vão se juntar a outros 160 brigadianos para atuar na Operação Avante, principal ofensiva contra o crime em Porto legre. As ações serão comandadas pela Brigada Militar.

A chegada da Força Nacional atende à solicitação do governador José Ivo Sartori feita ao presidente da República em exercício Michel Temer na sexta-feira (26). O grupo é composto por homens e mulheres de praticamente todos os Estados brasileiros, com exceção do Rio Grande do Sul.

Eles ficarão alojados no 9º BPM e em unidades vizinhas, como o 1º BPM e o Departamento de Logística e Patrimônio. Os agentes, que vestem farda camuflada e boina cor de vinho, possuem treinamento rigoroso em direitos humanos, controle de distúrbios civis, policiamento ostensivo e gerenciamento de crise. Além disso, precisam ter longa experiência em policiamento ostensivo e grupamentos de operações especiais.

Comentários