Ao decretar estado de calamidade no RS, governador determina limite de compras de itens essenciais e proíbe o transporte interestadual

O governador Eduardo Leite decretou nesta quinta-feira (19) estado de calamidade pública no Rio Grande do Sul em razão do coronavírus. Em uma entrevista coletiva transmitida pela internet, ele divulgou medidas do governo para conter a pandemia.

Entre as determinações anunciadas, está a proibição do transporte interestadual de passageiros por meio de ônibus. Já o transporte intermunicipal só poderá acontecer com lotação de 50% da capacidade dos ônibus, e o municipal só ocorrerá com passageiros sentados.

No comércio, haverá limite de compra de itens essenciais por consumidor nos supermercados e controle de preços para evitar a cobrança de valores abusivos. Pessoas em situação de risco terão horários específicos para realizar as compras.

Todos os estabelecimentos não essenciais de shoppings ficarão fechados no RS, com exceção de restaurantes, farmácias e bancos, que terão de seguir regras de higienização para evitar a disseminação do coronavírus.

“É séria a situação, é grave em todo o Rio Grande do Sul”, declarou Leite. “Melhor saudade de abraços do que das pessoas que viermos a perder se não tomarmos a devida precaução”, enfatizou ao lembrar que as pessoas devem evitar contatos como abraços e apertos de mão.

 

Comentários