Após conceder refúgio a Cesare Battisti, o ex-presidente Lula pede desculpas às famílias das vítimas do terrorista italiano

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu desculpas às famílias das vítimas do terrorista Cesare Battisti e reconheceu o “erro” em manter o italiano no Brasil durante uma entrevista ao canal do YouTube “TV Democracia”.

O petista disse que tomou a decisão de não extraditar Battisti com base no que seu então ministro da Justiça Tarso Genro havia lhe falado.

“O Tarso Genro quando tomou a decisão, ele tomou a decisão porque achava que ele era inocente. O Tarso Genro me disse o seguinte: ‘Não dá para mandar ele embora porque ele pode ser detonado na Itália e ele é inocente’. Toda a esquerda brasileira, todo mundo defendia que o Battisti ficasse aqui”, explicou.

“Eu nunca estive com o Battisti. Ele nunca me procurou porque talvez eu não fosse um revolucionário como ele achava. Por isso, me ative naquilo que meu ministro disse que ele era inocente, que não tinha provas da culpabilidade”, acrescentou.

No entanto, quando o italiano foi extraditado para a Itália em 2019, ele confessou que cometeu os quatro assassinatos dos quais era acusado enquanto fazia parte do grupo Proletários Armados pelo Comunismo, na década de 1970. Atualmente, o terrorista cumpre pena de prisão perpétua na Sardenha.

“Quando ele foi preso e ele confessa, foi uma frustração, foi uma frustração para mim porque ele comprometeu um governo que tinha uma relação extraordinária, que ainda tenho, com toda a esquerda italiana, com a esquerda europeia, e ele não precisaria ter mentido, pelo menos, para quem o estava querendo aqui. Porque a base da amizade na política é você não prejudicar um amigo. Você cometeu um crime, o advogado vai saber como defender. Porque não dá para mentir para os amigos”, disse Lula.

Condenado na Operação Lava-Jato, o ex-presidente ressaltou que “não teria nenhum problema em pedir desculpas para a esquerda italiana, para as famílias [das vítimas] do Cesare Battisti”.

“Ele enganou muita gente no Brasil, não sei se enganou muita gente na França, mas a verdade é que tinha muita gente que achava ele inocente. E se nós cometemos esse erro, nós pedimos desculpas sem dúvida nenhuma. Agora, ele mentiu para as pessoas de bem aqui do Brasil”, prosseguiu.

Battisti foi extraditado em 2019. (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

 

Comentários