Após paralisação devido a um problema no sistema de sinalização, Trensurb circula normalmente


Os trens ficaram paralisados por cerca de três horas. (Foto: Emilene Lopes/Trensurb)

Os trens da Trensurb, que estavam paralisados desde o início da manhã desta quarta-feira (13), voltaram a circular por volta das 8h em Porto Alegre e na Região Metropolitana.

A operação foi suspensa por cerca de três horas devido a um problema no sistema de sinalização, segundo a empresa. O fechamento das estações, por questão de segurança, provocou transtornos e aglomeração de usuários nesses locais.

“Problemas de comunicação da rede de fibra ótica impediram o funcionamento do metrô. O Centro de Controle Operacional não recebia as informações necessárias entre as estações Sapucaia e Esteio”, informou a Trensurb.

Com 22 estações, os trens da Trensurb transportam, em média, 170 mil passageiros por dia.

Nota da Trensurb

“A Trensurb informa que, nesta madrugada, foi identificada pelo Centro de Controle Operacional falha na comunicação na via em função do rompimento de fibras óticas aéreas. O serviço de manutenção foi acionado e, ao chegar ao local, próximo à Estação Sapucaia, foram identificadas aproximadamente 50 fibras rompidas, provavelmente em decorrência de vandalismo. O serviço corretivo, iniciado à 1h da madrugada, foi concluído por volta das 4h30. A comunicação com os painéis de controle local de Sapucaia a Novo Hamburgo foi reativada, porém os de Esteio ao Mercado não retornaram imediatamente. Esses equipamentos foram reabilitados na sequência, alguns com intervenção direta das equipes de manutenção nos locais. Por volta das 7h30, todos os sistemas de sinalização voltaram a funcionar plenamente, porém, por protocolo de segurança, é necessário que haja uma circulação de trens do Mercado a Novo Hamburgo (e vice-versa) para testar as condições da via. Às 7h50, as estações foram abertas e a circulação foi restabelecida para a prestação dos serviços aos usuários. Vale lembrar que são os sistemas de sinalização da via e dos trens, cuja comunicação se dá por meio de fibras óticas, que permitem que o Centro de Controle Operacional faça a gestão da circulação dos trens em condições de segurança. Também é importante destacar que tratou-se de um problema pontual – o primeiro já ocorrido envolvendo a rede de fibra ótica da empresa – e que, ao longo deste ano, o índice de regularidade das viagens da Trensurb (número de viagens realizadas em relação ao número total de viagens previstas) é de 99,3% e o de pontualidade (número de viagens realizadas no horário previsto em relação ao número total de viagens previstas), de 99,2%”, informou a empresa em nota.

Comentários