Após quatro dias na China, presidente Michel Temer embarca de volta ao Brasil após reuniões bilaterais com chefes de Estado

Depois de participar do encontro de cúpula do G20 (grupo que reúne as 20 maiores economias do mundo), em Hangzhou, na China, o presidente Michel Temer embarcou de volta para o Brasil às 6h55 (horário de Brasília) desta segunda-feira (5). Ele deve chegar ao Brasil às 12h30 desta terça-feira (6). No último dia na China, Temer teve reuniões bilaterais com chefes de Estado de outros países participantes da cúpula do G20.

A primeira reunião de Temer no último dia do G20 foi com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe. Depois ele teve reuniões bilaterais com vice-primeiro-ministro da Arábia Saudita, príncipe Mohammad bin Salman Al Saud, com o chefe interino governo da Espanha, Mariano Rajoy, e com o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi.

Segundo o Palácio do Planalto, na conversa com Abe Temer falou sobre o interesse brasileiro em atrair investimentos em infraestrutura, como portos aeroportos e ferrovias. O presidente também manifestou o interesse do Brasil em exportar carnes, frutas e demais produtos agrícolas ao Japão, além de aprofundar a cooperação nas áreas de educação, ciência, tecnologia e inovação.

Na reunião com Rajoy, Temer e o espanhol falaram sobre a situação política de Brasil e Espanha e as relações econômicas entre os dois países. Também abordaram o acordo de paz do governo colombiano com as Farc e a atual situação política da Venezuela, com o referendo revogatório do mandato de Nicolás Maduro, presidente venezuelano, que a oposição tenta aprovar. Rajoy convidou Temer para visitar a Espanha e Temer também fez convite ao espanhol.

Arábia Saudita e Itália
Ainda de acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, na conversa com o vice-primeiro-ministro da Arábia Saudita, Temer defendeu o fortalecimento das missões econômico-comerciais entre os dois países e falou do interesse do Brasil em exportar produtos agropecuários e de material de defesa.

Na reunião bilateral com Matteo Renzi, segundo informou o Planalto, Temer reiterou interesse do Brasil na venda da aeronave KC 390 da Embraer, disse que o país quer atrair investimentos italianos e manifestou solidariedade pelo terremoto que atingiu a região central da Itália no final de agosto.

Comentários