Arábia Saudita condena cinco pessoas à pena de morte por assassinato de jornalista em consulado


Jamal Khashoggi era crítico ao governo da Arábia Saudita
Foto: Reprodução de TV

A Promotoria Pública da Arábia Saudita informou nesta segunda-feira (23) que cinco pessoas foram condenadas à morte e outras três foram presas pelo assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi. O crime ocorreu em Istambul, na Turquia, em outubro do ano passado.

Khashoggi era residente nos Estados Unidos e crítico do príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman. Ele foi visto pela última vez no consulado da Arábia Saudita em Istambul em 2 de outubro de 2018, onde deveria receber documentos antes do seu casamento. Seu corpo foi desmembrado e removido do prédio. Os restos mortais não foram encontrados.

A CIA e alguns governos ocidentais disseram acreditar que o príncipe Mohammed ordenou o assassinato, mas autoridades sauditas alegam que ele não teve nenhuma participação no caso. Onze suspeitos sauditas foram julgados pela morte do jornalista em um processo sigiloso em Riad.

Comentários