“Atendi o interesse do povo”, afirma Bolsonaro sobre saques do FGTS


O saque de contas ativas e inativas do FGTS foi liberado nesta quarta (24). (Foto: Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta sexta-feira (26), que acha difícil o Congresso Nacional modificar a medida provisória com as novas regras para os saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Quando questionado pelos jornalistas sobre a intenção de alguns parlamentares de aumentarem o valor do saque de R$ 500 para contas ativas e inativas, o presidente disse que os parlamentares “têm todo direito”.

“O Parlamento sabe muito bem, acho difícil tomarem medida nesse sentido, mas têm todo o direito de tomar. Se, na ponta do lápis, eles falarem que não será atingida a construção de casas populares no Brasil, não tem problema, está certo? Depende deles mostrarem. Matemática não tem como fugir, né? Matemática, pelo que eu aprendi até hoje, dois e dois são quatro e ponto final”, disse o presidente.

Bolsonaro afirmou também que fez isso pensando nas pessoas cujo saldo é abaixo de R$ 500: “Atendi o interesse do povo, não majorando isso, porque temos que ter recursos para continuar o Programa Minha Casa, Minha Vida que é muito importante para quem não tem onde morar. Essa que é a nossa intenção”, afirmou o presidente, na saída do Palácio Alvorada.

Na quarta-feira (24), o governo federal anunciou a liberação de saques de contas ativas e inativas do FGTS e do PIS-Pasep. O anúncio foi feito no Palácio do Planalto com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Comentários