Autor do triplo homicídio em Porto Alegre é preso e alega legítima defesa

Os detalhes foram divulgados pelo delegado Rodrigo Garcia em coletiva no final da tarde desta terça.
Foto: O Sul

A Polícia Civil, por meio da Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa, realizou nesta terça-feira (28) a prisão do responsável pelo triplo homicídio, ocorrido no bairro Lami, em Porto Alegre, no último domingo (26).  Ele alega legítima defesa. Os detalhes foram divulgados pelo delegado Rodrigo Garcia em coletiva no final da tarde desta terça.

O suspeito, Dionatha Bitencourt Vidaletti, de 24 anos, disse em depoimento que foi agredido pelo motorista que morreu e pela mulher que estava com ele. Afirmou ainda que o motorista tinha uma arma e que sofreu coronhadas. Para parar com as coronhadas, a mãe dele deu um tiro para o chão. Então, segundo ele, começaram agressões contra sua mãe. Vendo isso, conseguiu pegar a arma do motorista e foi então quando atirou contra os três. Segundo ele, a arma foi jogada na região onde tudo ocorreu.

Carro e armas localizados

O suspeito de matar a tiros um casal e seu filho após uma discussão provocada por um pequeno acidente de trânsito, já havia sido identificado na segunda-feira (27), quando a Justiça decretou a prisão do homem, que vinha sendo procurado. O carro utilizado pelo autor dos disparos foi encontrado, assim como duas armas.

Embora não divulgue o nome do suspeito devido à Lei de Abuso de Autoridade, sabe-se que trata-se de um jovem de 24 anos que não teria antecedentes criminais. Ele estava acompanhado pela mãe no momento do crime, que ocorreu na Estrada do Varejão, no bairro Lami.

O crime

No domingo (26) houve uma pequena colisão entre um Citroën Aircross, onde estava a família, e uma Ecosport, que estava estacionada. O motorista da Ecosport começou a perseguir o outro automóvel, que não parou após a batida, e o obrigou a frear, iniciando uma discussão. Depois, ele sacou uma arma e efetuou disparos contra a família. As vítimas foram Rafael Zanetti Silva, 45 anos, Fabiana da Silveira Innocente Silva, 43, e Gabriel da Silveira Innocente Silva, 20.

O filho mais novo do casal, de 8 anos, e a namorada de Gabriel também estavam no Citroën, mas não se feriram. O assassino fugiu. Ele não possuiria o registro da arma usada no crime.

Durante os trabalhos de investigação policial, foi localizada, na tarde de segunda, a Ecosport, assim como uma pistola, que estaria no nome da mãe da vítima, e um revólver, ainda sem informações sobre registro. A arma utilizada, uma 9mm, não está entre as encontradas.

Comentários