Bloqueio de um mês na trincheira da rua Anita Garibaldi começa neste sábado

 (Foto: Ricardo Giusti/PMPA)

A trincheira da rua Anita Garibaldi, na Zona Norte de Porto Alegre, estará bloqueada por 30 dias, a partir deste sábado, para obras de acabamento. Segundo a EPTC e a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade, a medida já estava planejada desde maio do ano passado e tem por finalidade evitar riscos aos motoristas, pedestres e trabalhadores, além de proporcionar mais rapidez aos trabalhos no local.

“O fechamento vai garantir o cumprimento do cronograma para que se atenda o prazo da entrega total da obra”, explica o titular da pasta, Luciano Marcantônio. A trincheira, no cruzamento com a avenida Carlos Gomes, possui duas faixas de rolamento com largura total de aproximadamente sete metros.

Os serviços terão mais de dez funcionários e equipamentos como andaimes, plataformas, escadas, talhadeira e lixadeira. “Não há como garantir a segurança no trecho com uma equipe trabalhando em andaimes em uma faixa e ao lado veículos circulando. Algum material pode ser projetado contra os veículos, por exemplo”, menciona o diretor-técnico da EPTC, Marcelo Hansen.

A EPTC destaca que o desvio no trânsito, pela rua Furriel Luiz Antonio de Vargas e alameda Raimundo Correa, continua aberto e será a alternativa para quem se deslocar no sentido Centro-bairro. Ficarão liberados o acesso local e a utilização da alça de acesso à Terceira Perimetral em direção à Zona Sul da Capital.

As obras na trincheira da Anita foram retomadas em 12 de fevereiro do ano passado. Junto com o trabalho que será executado na passagem de nível, prossegue a obra no muro do condomínio Província de Shiga. Posteriormente, será feito o alargamento da via. No momento, o percentual de execução é de 93% e a conclusão está prevista para junho deste ano.

Cristóvão Colombo

Outra trincheira na região, a dos altos da avenida Cristóvão Colombo, foi liberada pela prefeitura na última terça-feira. Após cinco anos de obras e paralisações, o desbloqueio foi possibilitado por uma parceria da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana com moradores e empresários da região, que doaram materiais para a obra.

Dessa forma, foram executados o muro de contenção, a pintura e instalação de sinalização pela EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação). A expectativa é de que a via seja aberta nos dois sentidos em menos de dois meses após o início dos trabalhos.

A força-tarefa também contou com apoio da PGM (Procuradoria-Geral do Município), que auxiliou no processo de formalização legal das contribuições, e da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, que atuou também na construção do sistema de drenagem, realizou melhorias de iluminação pública e participou das ações de capina e limpeza, finalizando com o plantio de flores nos canteiros da trincheira.

Com 60 metros de extensão, o trecho liberado é o que passa por baixo da rua Dom Pedro II, possibilitando o fluxo pela avenida Cristóvão Colombo entre a Plínio Brasil Milano e a Benjamin Constant. Os desvios feitos na região foram retirados pela EPTC.

O primeiro contrato para realização dos serviços foi assinado em 2012. As obras começaram no ano seguinte, mas foram paralisadas em 2017 por problemas no consórcio. As empresas classificadas em segundo e terceiro lugares não tiveram interesse em dar prosseguimento à obra, o que acabou exigindo um novo processo de licitação no ano passado.

Comentários