Bolsonaro afirma que senador flagrado com dinheiro na cueca não faz parte do governo

Aos apoiadores, Bolsonaro disse que “vocês estão há quase dois anos sem ouvir falar em corrupção no meu governo”. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quinta-feira (15), em frente ao Palácio da Alvorada, que o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), pego com dinheiro na cueca em uma operação da PF (Polícia Federal) não faz parte de sua administração, apesar de ser vice-líder do governo no Senado.

Aos apoiadores, Bolsonaro disse que “vocês estão há quase dois anos sem ouvir falar em corrupção no meu governo”. E acrescentou: “O meu governo são os ministros, as estatais e bancos oficiais”.

O presidente elogiou a operação feita em conjunto pela PF (Polícia Federal) e a CGU (Controladoria-Geral da União), responsável por encontrar dinheiro supostamente desviado com o senador.

“Parte da imprensa está me acusando de o cara ser meu amigo, [dizendo que] eu o coloquei como vice-líder, o que diria que eu não combato a corrupção”, reclamou. “Nós estamos combatendo a corrupção, não interessa a pessoa suspeita.”

A investigação, sob sigilo, que teve como um dos alvos Chico Rodrigues apura desvios de recursos públicos destinados ao combate à pandemia de Covid-19, oriundos de emendas parlamentares. A ordem de busca e apreensão foi autorizada pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso.

Foram encontrados R$ 30 mil dentro da cueca do vice-líder do governo. Ao todo, os valores descobertos na casa do senador chegariam a R$ 100 mil. A investigação apura indícios de irregularidades em contratações feitas com dinheiro público, que teriam gerado sobrepreço de quase R$ 1 milhão. “A investigação de ontem é um exemplo típico do meu governo”, declarou Bolsonaro.

Segundo o presidente, operações do tipo vão continuar. “A CGU está de olho, a nossa Polícia Federal está de olho. Lamento esses desvios de recursos. Quando se desvia dinheiro da saúde, pessoas morrem.”

Comentários