Bolsonaro diz que enviará projeto de lei para dobrar diárias de soldados


Proposta, que tem aval da equipe econômica, aumenta benefício de R$ 25 para R$ 50
(Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feira (27) que enviará ao Poder Legislativo projeto de lei para dobrar a diária de soldados de R$ 25 para R$ 50. Na entrada do Palácio do Alvorada, onde parou para cumprimentou um grupo de eleitores, ele afirmou que a proposta está pronta e já recebeu autorização da equipe econômica.

Na opinião do presidente, o Poder Legislativo não vai ter dificuldade de aprovar a iniciativa, que deve ser encaminhada em fevereiro “Os soldados trabalham de domingo a domingo nas estradas e ganham uma diária de R$ 25. A nossa ideia é passar para R$ 50. Eu acho que não é muito”, disse.

Em agosto, diante de um contingenciamento orçamentário, o Exército chegou a autorizar a redução do expediente de recrutas. Em um e-mail, o comandante Edson Pujol disse que os generais e diretores poderiam suprimir a seu critério o dia de trabalho em suas respectivas áreas nos dias 2, 9, 16, 23 e 30 de setembro.

Naquele mesmo mês, o próprio presidente reconheceu que estava difícil a situação financeira das Forças Armadas, com falta de recursos. “O Exército vai entrar em meio expediente. Não tem comida para o recruta, que é filho de pobre. Essa situação em que nos encontramos é grave, não é maldade da minha parte, não tem dinheiro. Só isso”, disse.

O presidente conversou com a imprensa antes de embarcar para a Bahia, onde passará o recesso de final de ano. Como seus antecessores, ele escolheu a base naval de Aratu, a 42 km do centro de Salvador.

Ele pretende ficar no balneário militar até o dia 5 de janeiro. Com ele, vai a sua filha caçula, Laura. A primeira-dama Michelle Bolsonaro não o acompanhará. Segundo o presidente, ela passará no período por uma cirurgia. Ele, no entanto, não deu detalhes.

Comentários