Bolsonaro diz que o impacto da tensão no Oriente Médio sobre os preços dos combustíveis não foi grande

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta segunda-feira (06) que a tendência dos preços dos combustíveis no Brasil é ficarem estáveis, mesmo com a tensão no Oriente Médio provocada pela morte do general iraniano Qassem Soleimani em um ataque dos Estados Unidos no Iraque.

Em meio à escalada da tensão, o preço do barril do petróleo teve forte alta na semana passada. Irã e Iraque estão entre os maiores produtores do mundo.

De acordo com Bolsonaro, os preços caíram desde a alta inicial e, na opinião do presidente, o impacto do ataque no mercado de petróleo não foi grande.

“Reconheço que o preço [dos combustíveis] está alto na bomba. Graças a Deus, pelo que parece, a questão lá dos Estados Unidos e Iraque, do general lá que não é general e perdeu a vida [Soleimani], não houve… O impacto não foi grande. Foi 5% passou para 3,5%. Não sei quanto está hoje a diferença em relação ao dia do ataque. Mas a tendência é estabilizar”, afirmou o presidente na saída do Palácio da Alvorada.

Comentários