Bolsonaro questiona veracidade da Comissão da Verdade: “balela”

Nesta terça-feira (30), o presidente Jair Bolsonaro questionou a legitimidade da Comissão da Verdade, que apurou crimes cometidos na ditadura militar. Ele deu a declaração ao ser perguntado por jornalistas sobre a conclusão da comissão para a morte de Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz.

Na entrada do Palácio da Alvorada, jornalistas questionaram o presidente de que a versão dele contraria a oficial. Então ele respondeu: “você acredita em Comissão da Verdade? Qual foi a composição da Comissão da Verdade? Foram sete pessoas indicadas por quem? Pela Dilma”, disse o presidente. Ele ainda chamou de “balela” documentos sobre mortes na ditadura. “Nós queremos desvendar crimes. A questão de 64, existem documentos de matou, não matou, isso aí é balela”, afirmou. Quando questionado se está disposto a fornecer as informações que dispõe sobre a morte de Fernando para o STF, Bolsonaro disse que não tem registros escritos: “o que eu sei é o que falei para vocês. Não tem nada escrito que foi isso, foi aquilo. Meu sentimento era esse”, disse.

Perguntado se tem documentos para mostrar que Fernando foi morto por um grupo de esquerda, o presidente ironizou: “Você quer documento para isso, meu Deus do céu? Documento é quando você casa, você se divorcia. Eles têm documentos dizendo o contrário?”, completou.

Comentários