Bolsonaro rejeita aumento de imposto sobre cerveja, cigarro e produtos com açúcar


Antes de desembarcar na Índia, Bolsonaro fez escala em Angola
Foto: Divulgação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (24) que está descartado o aumento de imposto sobre cerveja, cigarro e produtos com açúcar. “Paulo Guedes, desculpa, você é meu ministro, te sigo 99%, mas aumento de imposto para cerveja não”, afirmou Bolsonaro ao desembarcar em Nova Déli, na Índia.

A mudança na tributação foi aventada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, na quinta-feira (23), em Davos, na Suíça, durante o Fórum Econômico Mundial. Lá, o ministro afirmou que o governo avalia uma cobrança de tributos sobre cigarros, álcool e produtos com açúcar em uma eventual proposta de reforma tributária a ser apresentada pela equipe econômica.

De acordo com ele, o sistema tributário de vários países prevê a cobrança do “imposto do pecado” para diminuir o consumo de cigarros, álcool e produtos com açúcar. “Não tem nada definido, tem um grupo fazendo a reforma tributária. Fala-se de tributos e impostos e existe esse conceito de tributar coisas que fazem mal para a saúde”, disse Guedes.

Porém, Bolsonaro declarou nesta sexta ser contra a proposta: “Não tem como aumentar, não consegue mais aumentar a carga tributária no Brasil. Todo mundo consome algo de açúcar todo dia, não da para aumentar”.

Comentários