Brasil está entre os piores colocados em ranking mundial de educação

Os resultados do Brasil no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes, na sigla em inglês), divulgados na manhã desta terça-feira (06), mostram uma queda de pontuação nas três áreas avaliadas – ciências, leitura e matemática – e colocam o País entre os piores do mundo na avaliação. O País ficou na 63ª posição em ciências, no 59º lugar em leitura e na 66ª colocação em matemática.

A prova, coordenada pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), foi aplicada em 2015 em 70 países, entre 35 membros da OCDE e 35 parceiros. Ela acontece a cada três anos e oferece um perfil básico de conhecimentos e habilidades dos estudantes, reúne informações sobre variáveis demográficas e sociais de cada país e oferece indicadores de monitoramento dos sistemas de ensino ao longo dos anos.

No Brasil, a prova fica sob responsabilidade do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira). A amostra brasileira contou com 23.141 alunos de 841 escolas, que representam uma cobertura de 73% dos estudantes de 15 anos.

Em cada edição, o Pisa dá ênfase a uma das três áreas. Na deste ano, o foco foi ciências. Em 2015, a nota do País em ciências caiu de 405, na edição anterior, de 2012, para 401; em leitura, o desempenho do Brasil caiu de 410 para 407; já em matemática, a pontuação dos alunos brasileiros caiu de 391 para 377.

Segundo o Inep, não existem “evidências empíricas” para afirmar que houve “diferenças estatisticamente significativas” entre a pontuação dos estudantes brasileiros nas três áreas do Pisa entre 2015 e as três últimas edições da prova (2012, 2009 e 2006).

Comentários