“Brincar com a morte é perverso”, diz o presidente da Câmara dos Deputados após boletins diferentes do coronavírus

Legenda da imagem: O deputado informou ainda que a comissão externa da Câmara que trata da Covid-19 vai “se debruçar sobre as estatísticas”. (Foto: Fábio Rodrigues/Agência Brasil)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a criticar a alteração do governo na divulgação dos dados sobre o coronavírus. Em um post nas redes sociais na madrugada desta segunda-feira (08), ele afirmou que “brincar com a morte é perverso” após o Ministério da Saúde apresentar dois boletins com números divergentes de óbitos na noite deste domingo (07).

“Brincar com a morte é perverso. Ao alterar os números, o Ministério da Saúde tapa o sol com a peneira. É urgente resgatar a credibilidade das estatísticas. Um ministério que tortura números cria um mundo paralelo para não enfrentar a realidade dos fatos”, afirmou.

O deputado informou ainda que a comissão externa da Câmara que trata da Covid-19 vai “se debruçar sobre as estatísticas”. “É urgente que o Ministério da Saúde divulgue os números com seriedade, respeitando os brasileiros e em horário adequado. Não se brinca com mortes e doentes”, finalizou.

Confusão nos dados

Neste domingo, o Ministério da Saúde divulgou dados diferentes sobre a quantidade de mortos e infectados por Covid-19. Questionado, o governo ainda não explicou a razão da diferença dos dados.

O primeiro balanço do ministério apontava para 1.382 mortes nas últimas 24 horas, elevando o total de óbitos para 37.312. O segundo, no entanto, divulgado no painel oficial do ministério que acompanha a evolução da doença, informava 525 óbitos, somando 36.455 mortes desde o início da pandemia no Brasil. A diferença na apuração das mortes das últimas 24 horas entre os dois balanços é de 857 pessoas.

Comentários