Câmara de Vereadores retoma o processo de impeachment do prefeito de Porto Alegre

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre retomou, nesta segunda-feira (05), o processo de impeachment do prefeito Nelson Marchezan Júnior, que apura supostas irregularidades no uso de verbas do Fundo Municipal da Saúde em gastos com publicidade durante a pandemia de coronavírus.

O primeiro dos dez nomes escolhidos pela defesa do prefeito para ser ouvido pela comissão processante seria o secretário de Saúde da Capital, Pablo Stürmer, que não compareceu ao Plenário Otávio Rocha. Segundo a secretaria, a ausência foi motivada por uma viagem familiar.

Nesta tarde, os membros da comissão processante – os vereadores Hamilton Sossmeier (PTB), Alvoni Medina (Republicanos) e Ramiro Rosário (PSDB) – realizam as oitivas do publicitário Fernando Silveira e da empresária Marta Rossi.

Os parlamentares têm o prazo de 90 dias para o encerramento do processo, aberto em 11 de agosto, com a notificação de Marchezan. O depoimento das testemunhas pode ser realizado por videochamada.

O prefeito nega irregularidades e afirma que o pedido de impeachment é motivado por questões políticas, visando às eleições municipais.

Agenda de depoimentos:

5/10, às 14h: Fernando Silveira, publicitário

5/10, às 16h: Marta Rossi, empresária

6/10, às 14h: Eduardo Luiz Barros Barbosa, deputado federal (PSDB-MG)

6/10, às 16h: Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde

8/10, às 10h: Orestes de Andrade Júnior, ex-secretário de Comunicação de Porto Alegre

8/10, às 14h: Tarso Boelter, ex-diretor da Câmara de Vereadores de Porto Alegre

8/10, às 16h: Maurício Dziedricki, deputado federal (PTB-RS)

9/10, às 15h: José Fortunati, ex-prefeito de Porto Alegre

9/10, às 17h: Samuel Moreira, deputado federal (PSDB-SP)

Comentários