Campanha Nacional de Vacinação começa nesta quarta-feira

Vacinação do público alvo ocorre do dia 10 ao dia 18 de abril (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A aproximação do inverno exige cuidados especiais com a saúde. Basta a temperatura baixar, que o corpo já sente os efeitos colaterais. A gripe, por exemplo, é uma das doenças mais comuns na estação e, por ser muito parecida com um resfriado, muitas vezes é subestimada pela população. É importante se prevenir e, principalmente, se vacinar.

Do dia 10 até o dia 18 de abril, a campanha de vacinação será direcionada prioritariamente para o público das gestantes e das crianças, que, neste ano, teve a faixa etária estendida, abrangendo agora as maiores de 6 meses e menores de 6 anos de idade. Os dois públicos foram os que menos se vacinaram em 2018. A partir do dia 22, poderão procurar a dose nas unidades básicas de saúde de todo o estado os demais grupos, como as pessoas acima dos 60 anos, doentes crônicos e professores.

Sobre a gripe

A gripe, também conhecida como influenza, é uma infecção viral respiratória aguda e altamente contagiosa, que pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade. É facilmente transmitida através da tosse, espirro e contato próximo com uma pessoa ou superfície contaminada.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ocorrência de casos da influenza pode variar de leve a grave e até levar a óbito. Os casos podem ocorrer principalmente entre os grupos de alto risco – que são crianças menores de 5 anos, gestantes, portadores de doenças crônicas e idosos. Em todo o mundo, estima-se que epidemias anuais resultem em cerca de 3 a 5 milhões de casos de doença grave e cerca de 290 mil a 650 mil óbitos.

No Brasil, já foram confirmados 69 casos de influenza nos quatro primeiros meses do ano. Somente no estado do Amazonas, já foram registrados 17 óbitos em 2019, Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas.

A Campanha Nacional de Vacinação 2019 terá uma atualização nos tipos de vírus que compõem as doses. Duas das três cepas do vírus influenza que fazem parte da vacina foram alteradas para esta temporada, com base nos estudos dos tipos mais frequentes que circulam no continente. Na rede privada já está disponível a vacina tetravalente contra influenza, para indivíduos a partir de 6 meses de idade.

Por que se vacinar todo ano?

Quem define a composição da vacina contra a gripe no mundo todo é a OMS. Em comunicado anual, a entidade informa os vírus com maior chance de circular no hemisfério sul e no norte após analisar amostras enviadas por centros espalhados em 114 países. Não existe uma vacina universal, como a da febre amarela, tomada apenas uma vez na vida.  Quem se vacinou contra a gripe no ano passado não está necessariamente protegido da doença neste ano. Segundo especialistas, a imunidade adquirida a partir da vacinação diminui com o tempo. Outro ponto é que a vacina contra a gripe passa por modificações todos os anos devido à mudança nos principais subtipos de vírus circulantes.

Grupos elegíveis para vacinação em 2019:

– Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias)

– Gestantes (em qualquer idade gestacional)

– Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto)

– Pessoas com 60 anos ou mais

– Povos indígenas aldeados

– Trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados

– População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional

– Professores de escolas públicas e privadas

– Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais*

*Doenças crônicas respiratórias, cardíacas, renais, neurológicas ou hepática; diabetes; imunossupressão; obesidade; transplantados ou pessoas com trissomias.

Diferenças entre as vacinas trivalente e tetravalente

Segundo a OMS, a vacina trivalente é composta por 3 vírus influenzas diferentes: a H1N1, a H3N2, b/brisbane. Ela é oferecida gratuitamente pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) nos postos de saúde para crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, profissionais de saúde, portadores de doenças crônicas não transmissíveis, indígenas, pessoas acima de 60 anos e professores das escolas públicas e privadas.

Já a vacina tetravalente, disponível na rede privada, possui proteção contra quatro diferentes cepas do vírus influenza: 2 cepas a (H1N1 e H3N2) e 2 linhagens b (yamagata e victoria), o que significa 1 linhagem b a mais que as vacinas trivalentes.

Comentários