Com recessões e pandemia, PIB do Brasil tem pior década em 120 anos

A dimensão exata do tombo da economia em 2020 será conhecida nesta quarta-feira (03) com a divulgação dos dados oficiais do PIB (Produto Interno Bruto (PIB) – mas já se sabe que o desempenho do Brasil na década foi o pior já registrado em 120 anos.

Considerando a expectativa de tombo da ordem de 4% no ano passado, o Brasil fechou o período entre 2011 e 2020 com um crescimento médio anual de apenas 0,3%, segundo cálculos do economista Claudio Considera, do Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas).

Até então, a pior década econômica tinha sido a observada nos anos 1980, período chamado de “década perdida”, quando o PIB brasileiro avançou em média 1,6% ao ano no período.

Segundo o pesquisador, a taxa média de crescimento de apenas 0,3% ao ano pode ser interpretada como uma “estagnação”. “Para igualar com a década de 80, o PIB teria que crescer 10% em 2020. Mesmo se crescesse em 2020 o que estava projetado pelo mercado [cerca de 2%, antes da decretação da pandemia], o PIB médio entre 2011 e 2020 cresceria 0,9%. Ou seja, essa década foi um desastre em qualquer situação, muito pior do que a dos anos 80”, explica o economista.

O levantamento do Ibre utiliza como base a série histórica do PIB apurada pelo Ipea (Instituto de Pesquisas Econômica Aplicada) e pelo IBGE, e as projeções do Monitor do PIB da FGV, que tenta antecipar o resultado oficial do desempenho da economia brasileira.

PIB de 2020 deve ter sido o pior em 30 anos

Os números oficiais de 2020 do PIB, que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no País, serão divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Pela projeção do Monitor do PIB da FGV, a retração da economia em 2020 foi de 4%. Pela leitura do Índice de Atividade Econômica do Banco Central, que é considerado uma “prévia” do PIB, o tombo foi de 4,05%.

Confirmada as expectativas, será a maior contração anual desde o início da série histórica do IBGE, que começou em 1996, superando o tombo de 3,5% registrado em 2015, o maior até então. Considerando a série anterior, iniciada em 1948, o resultado de 2020 deve ser o pior em 30 anos. Os maiores tombos já registrados no país anteriormente foram os de 1981 e 1990 – em ambos os anos, houve uma retração de 4,3% do PIB.

Comentários