Com segurança reforçada, Câmara dos Estados Unidos começa a debater impeachment de Donald Trump

Trump é acusado de incitar a violência que resultou na invasão do Capitólio. (Foto: Reprodução/Twitter)

Com a segurança reforçada no Capitólio, congressistas começaram a analisar nesta quarta-feira (13) o segundo processo de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na Câmara dos Representantes.

Ele é acusado formalmente de incitar a violência que resultou na invasão do Capitólio, a sede do Congresso dos EUA, na semana passada. Ao contrário do Brasil, o presidente dos EUA não é afastado quando o processo de impeachment é aprovado na Câmara. A remoção definitiva só ocorre caso o processo seja aprovado também pelo Senado. Assim, Trump deve permanecer no cargo até a posse de Joe Biden, que ocorrerá na próxima quarta-feira (20).

No primeiro processo de impeachment, Trump foi condenado pela Câmara, mas absolvido pelo Senado. Nenhum deputado republicano e só um senador do partido votou contra o presidente. Agora, pelo menos cinco deputados republicanos já anunciaram que votarão a favor do impeachment.

Votação no Senado

Nunca um presidente americano teve o impeachment aprovado no Senado. Antes de Trump, Andrew Johnson e Bill Clinton também tiveram seus processos de impeachment aprovados pela Câmara e foram absolvidos pelo Senado. Já Richard Nixon renunciou antes de o processo ser votado na Câmara.

A dúvida é se os senadores republicanos que romperam com Trump conseguirão formar a maioria de dois terços no Senado para destituí-lo. Outra incógnita é se o Congresso pode continuar com o processo mesmo após ele deixar a Casa Branca, com o término do seu mandato.

Comentários