Coronavírus: Estados adotam plataformas online e aulas na TV aberta para levar conteúdo a estudantes

A suspensão de aulas para conter o avanço do novo coronavírus levou escolas e professores a se adaptarem e encontrarem formas de manter a aprendizagem dos alunos em tempos de pandemia.

Aulas pela TV e internet, já comuns na redes privadas de ensino, estão sendo implementadas também nas redes estaduais – um avanço que deverá permanecer e complementar a aprendizagem após o fim do isolamento social.

Um levantamento do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) aponta que até esta quarta-feira (08) ao menos 10 Estados adotam exclusivamente plataformas online com conteúdo educativo para transmitir aulas neste período. Outros 3 transmitem aulas pela TV aberta.

Em meio ao avanço da pandemia, o governo federal determinou que as instituições de ensino estão isentas de cumprirem o mínimo de dias letivos, mas manteve a carga horária necessária para completar o ano de estudo. Uma das formas de atender esta previsão é adotar a educação a distância, seja pela TV, pela internet, ou ainda adaptando trabalhos escolares escritos para aqueles que não têm acesso à tecnologia.

“Não há dúvidas de que haverá perdas na aprendizagem, se comparado ao período normal, sem pandemia. Mas cabe o compromisso a cada secretaria de educação de pensar nesse retorno dos estudantes para resgatar o que foi perdido”, disse Cecilia Motta, presidente do Consed.

Para Cecilia, o momento será positivo para as escolas repensarem seus processos de ensino. “Ninguém teve tempo de se preparar, mas chegou em um momento em que a gente tinha que reinventar a escola, usando tecnologia que outros países desenvolvidos já estão adotando. Há resistência dos mais antigos em usar a tecnologia, mas estou impressionada em ver grupos de diretores do interior e da capital trocando experiências e passando conteúdos de aula de um para outro. Todos estão colaborando”, destacou.

Comentários