Coronel Rodrigo Mohr será o novo comandante-geral da Brigada Militar, substituindo o coronel Mário Ikeda


Governador Eduardo Leite, com o vice Ranolfo Vieira Júnior, cumprimenta coronel Rodrigo Mohr, que substituirá o coronel Ikeda no comando-geral da BM. (Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)

O coronel Rodrigo Mohr Picon será o novo comandante-geral da BM (Brigada Militar). O atual chefe do CPC (Comando de Policiamento da Capital) substituirá o coronel Mário Yukio Ikeda, que, após 34 anos e nove meses de serviço, irá para a reserva. O nome que passará a chefiar o CPC será definido nos próximos dias. Também será anunciada em breve a data da cerimônia de posse do novo comandante-geral.

O atual e o futuro comandante-geral foram recebidos na tarde desta segunda-feira (4), no Palácio Piratini, pelo governador Eduardo Leite e pelo vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, para anunciar a passagem de comando.

Ao agradecer os serviços prestados pelo coronel Ikeda, o governador explicou que a redução nos índices de criminalidade faz parte de uma conquista coletiva. “O comando da equipe certamente é algo que merece reconhecimento e, por isso, agradecemos a dedicação do senhor nesses quase 35 anos”, pontuou Leite.

“A queda na violência na capital também foi bastante impressionante e seu trabalho faz parte disso. A segurança é uma das nossas prioridades. Por isso, temos um programa focado na área e um vice-governador que vem de lá”, reforçou.

“Agradeço o empenho do comandante Ikeda durante o período que chefiou a instituição. E destaco que, assim como a manutenção do coronel Ikeda desde o governo anterior, a escolha do coronel Mohr se deu pelo caráter técnico. É um profissional extremamente preparado para dar continuidade à redução constante dos indicadores de criminalidade, com viés operacional, assegurando a melhoria da sensação de segurança para a população”, afirmou o vice-governador.

Natural de Porto Alegre, o coronel Mohr ingressou na Brigada Militar em 1987. Aos 50 anos, já foi comandante do 9° BPM (Batalhão de Polícia Militar) e do 19° BPM, e subcomandante do 1° BPM, todos na capital. Também atuou como diretor-adjunto no Departamento de Ensino e Treinamento da Secretaria da Segurança Pública e no Departamento de Ensino da Brigada Militar. Foi ainda chefe do Estado-Maior do CPC, onde atualmente exercia a função de comandante.

“Sou filho de uma servidora civil da Brigada Militar. Ingressei no antigo segundo grau da BM, hoje Colégio Tiradentes. É uma grande honra, vindo de uma família humilde, chegar ao posto máximo de uma instituição tão importante. Sinto muito orgulho em assumir o comando neste momento de redução dos índices e um trabalho de modernização, de foco estratégico para resolver os problemas”, afirmou Mohr.

Pela APM (Academia de Polícia Militar), o novo comandante-geral da BM concluiu os cursos de Formação de Oficiais (1990), Avançado de Administração Policial Militar (2002) e Especialização em Políticas e Gestão de Segurança Pública (2016). Também realizou os cursos de Extensão em Política, Estratégia e Gestão pela Adesg (2010), de Gestão Pública Moderna pela FDRH (2007) e de técnica de ensino da Marinha do Brasil (2006). Em 2003, obteve a formação de instrutor do Programa de Prevenção às Drogas e à Violência da Polícia Militar de Santa Catarina.

Mohr também tem licenciatura em Letras pela UFRGS (2001) e pós-graduação em Gestão da Segurança na Sociedade Democrática pela Ulbra (2009). Detentor de 11 medalhas e 15 comendas, Mohr foi promovido a coronel em agosto de 2019.

O pedido de saída para a reserva do atual comandante-geral foi protocolado na sexta-feira (1º). Natural de Guaíba, Ikeda tem 53 anos e ingressou na BM em 1985. Assumiu o comando-geral da Brigada em 25 de abril de 2018. Antes, estava no posto de subcomandante desde 25 de janeiro de 2017.

Ikeda também foi comandante do CPC, do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) – considerado a tropa de elite da Brigada Militar e agora denominado Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) –, do 15ª BPM, em Canoas, e gerente de Operações do Centro Integrado de Comando e Controle Regional do RS durante a Copa do Mundo 2014. Atuou na Força Nacional de Segurança Pública durante os Jogos Pan e Para-Pan Americanos e na Secretaria Especial de Segurança de Grandes Eventos durante a Copa das Confederações.

Ao comentar sua trajetória, o coronel Ikeda afirmou que pautou toda a carreira e, em especial o período em que esteve à frente da corporação, na valorização da atividade-fim da Brigada Militar. “Faço questão de, em todos os locais, utilizar o fardamento operacional, como forma de homenagear e reconhecer o trabalho do soldado, que é quem representa a instituição todos os dias”, destacou Ikeda.

O comandante disse sair satisfeito e orgulhoso pelo momento de conquistas importantes para o planejamento da Segurança Pública no Estado, com franca redução dos indicadores de criminalidade.

Comentários