CPI da Lava-Toga divide PSL e perde apoios

C

O proponente da Comissão, senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE). (Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

A criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar atos de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) divide o governo Bolsonaro. Liderada pela cúpula do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, a pressão para desidratar o movimento enfrenta críticas de aliados e já causou uma baixa no partido. Nesta quinta-feira (19), a lista de apoiadores perdeu uma assinatura, totalizando a 26 parlamentares, um a menos do que o necessário. O pedido para a criação da CPI Lava-Toga é focada na instalação de inquérito pela Corte para investigar a proliferação de fake news dirigidas contra magistrados.

Entre os senadores do PSL, apenas Flávio Bolsonaro é contra a CPI da Lava-Toga, com o respaldo do Palácio do Planalto. Ele foi procurado pelo presidente da legenda, Luciano Bivar (PE), para tentar reverter o apoio à iniciativa, o que ampliou o racha na sigla. Selma Arruda (MT) migrou para o Podemos. Major Olímpio (SP) criticou o filho do presidente e sinalizou que poderá seguir o caminho da colega no futuro.

Na Câmara, o deputado Eduardo Bolsonaro segue os passos do irmão Flávio. No último domingo, ele compartilhou em sua conta do Twitter um vídeo da youtuber Paula Marisa com críticas à CPI. No material, ela afirma que a ação poderia “acabar com a Lava-Jato” e disse acreditar ser mais efetivo lutar pelo impeachment de ministros e o fim da PEC da Bengala, que faria com que magistrados se aposentassem aos 70 anos, e não mais aos 75.

A imprensa tentou te manipular em 2018 e segue com a mesma estratégia em 2019. Abra seu olho! Assista Olavo de Carvalho @opropriolavo (youtube) que você não erra!https://www.youtube.com/user/olavodeca

O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), proponente da Comissão, respondeu Eduardo:

Repassando fake news para tentar encobrir a covardia e o acordão? Falta de vergonha na cara. A real é que o sistema está usando o rabo preso da sua família para barrar o combate à corrupção. Quem quer mudar o Brasil apoia a CPI. Quem quer mamata em embaixada fica com mimimi.3.12615:47 – 15 de set de 2019Informações e privacidade no Twitter Ads1.715 pessoas estão falando sobre isso

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), já engavetou dois pedidos de CPI neste ano e tem atuado contra novas adesões.

A defesa da abertura de investigação é feita majoritariamente por apoiadores da Operação Lava Jato e do ministro da Justiça, Sergio Moro. O movimento “Vem Pra Rua”, que acontecerá na próxima quarta-feira (25), chama manifestação em defesa da Lava-Toga na Praça dos Três Poderes, em Brasília.

Comentários