Cúpula da Polícia Federal começa a planejar a prisão do ex- presidente Lula

A PF (Polícia Federal) começa a se preparar para o momento em que terá que cumprir a ordem de prisão contra o ex-presidente Lula. Na alta cúpula da PF há preocupação sobre como proceder. Buscá-lo em casa de camburão teria a mesma repercussão de quando foi conduzido coercitivamente.

Uma ideia é combinar com os advogados para que ele se apresente no local onde irá cumprir a pena. Se não houver acordo com a defesa, a polícia pedirá ao juiz que especifique não só o local, mas para quem ela deve entregá-lo.

Bom pra todos

Delegados dizem que a prisão de Lula tem que ser bem articulada para garantir a segurança do petista e também dos policiais. A partir do momento em que o juiz determinar o cumprimento da pena, a PF já está autorizada a buscá-lo.

Efetivo próprio

A alta cúpula da PF levanta questionamentos sobre o que será feito dos oito assessores a que Lula tem direito como ex-presidente, principalmente porque quatro deles atuam como seguranças.

De novo

Com a possibilidade de Lula ser impedido de disputar a eleição, o PPS quer voltar a convencer o apresentador Luciano Huck a concorrer ao Planalto. Interlocutores da legenda avaliam que, com o ex-presidente fora do páreo, o 2º turno ficaria entre Ciro Gomes e Jair Bolsonaro.

Pesquisas encomendadas por dois partidos políticos indicam que Huck seria o principal beneficiário da saída de Lula da eleição. Ele herdaria o voto popular, não o ideológico. Chega a 15% sem Lula na disputa.

O tucano Geraldo Alckmin e o demista Rodrigo Maia também riem à toa com a possível saída de Lula da corrida presidencial, caso seja impedido de disputar. São beneficiados pela divisão da esquerda.

Pré-candidatura

Ao confirmar sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto, o ex-presidente Lula disse em reunião das lideranças nacionais do PT nesta quinta-feira (25) que a campanha presidencial do partido tem que seguir mesmo que aconteça uma “coisa indesejável”. No dia anterior, o petista teve sua condenação no caso do tríplex confirmada por unanimidade no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), o que pode torná-lo inelegível.

“Espero que essa candidatura não dependa do Lula”, afirmou o ex-presidente. “Essa candidatura só tem sentido se vocês forem capazes de fazê-la mesmo que aconteça uma coisa indesejável. É colocar o povo brasileiro em movimento.”

“E nós temos uma arma poderosa. É cobrar deles [Judiciário], todo santo dia, que eles apresentem uma prova de qual foi o crime que eu cometi”, seguiu Lula. O desembargador Leandro Paulsen, revisor do processo de Lula no TRF-4, foi claro em seu voto ao dizer que a prisão do ex-presidente poderá ser pedida assim que forem julgados os embargos de sua defesa.

O rigor da sentença encurtou o cronograma projetado pelo PT para brigar pelo registro do nome de Lula na disputa pelo Planalto, mas o partido reitera a intenção de seguir com a candidatura dele. “Nós não estamos jogando sozinhos no campo”, afirmou o petista no evento. “Nós temos outros candidatos, e as pessoas que me julgaram ainda têm a caneta com tinta e certamente vão tentar criar obstáculo para evitar que o Lula continue andando pelo País falando mal deles.”

Comentários