De volta da Suíça, Temer se concentra na aprovação da reforma da Previdência

De volta ao Brasil após a sua viagem a Davos, na Suíça, o presidente Michel Temer terá uma semana dedicada à reforma da Previdência. Ele cancelou a viagem que faria a Portugal na sexta-feira (02), por ocasião da 13ª Cimeira Brasil-Portugal, para se concentrar no tema.

O governo precisa garantir os 308 votos necessários para aprovar a reforma na Câmara dos Deputados, prevista para ser votada em 19 de fevereiro. O Executivo estima que tem 275 votos, de acordo com o relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA).

A reforma será assunto recorrente nos próximos dias na agenda do presidente. Neste domingo (28), será exibida uma participação do peemedebista no programa do apresentador Silvio Santos, no SBT. A reforma será o foco da conversa entre os dois. O presidente tem se esforçado para popularizá-la e garantir o apoio dos deputados federais.

Na avaliação do presidente, em caso de derrota no Congresso Nacional, o governo terá o discurso de que “fez a sua parte” e passará a responsabilidade aos parlamentares, que seriam obrigados a assumir uma postura perante seus eleitores. O discurso de que sem a reforma “não haverá aposentadorias” no futuro foi reforçado pelo presidente e seus ministros em vídeos publicados recentemente.

O peemedebista disse que em seus contatos na Suíça ficou ainda mais convencido da necessidade de aprovar a proposta. Segundo interlocutores de Temer, ele gostou do que ouviu de investidores estrangeiros no Fórum Econômico Mundial, reconhecendo os avanços na economia brasileira, como a queda da inflação e dos juros e a retomada do crescimento. Mas também ouviu o alerta de que o Brasil precisa resolver sua crise fiscal. Para isso, seria fundamental aprovar a reforma da Previdência.

Durante o período em que ficou em Davos, assessores disseram que Temer sentiu algo que não costuma acontecer no Brasil. O reconhecimento pela aprovação das reformas estruturais e a melhora no ambiente econômico e de investimentos no País. E poucos comentários sobre a crise política e as investigações do Ministério Público contra ele e aliados.

Agora, porém, Temer tem de voltar à realidade brasileira, onde sua popularidade é baixa e sempre é alvo de notícias sobre o avanço de investigações em relação a seus aliados – algumas delas atingindo-o pessoalmente também. Por isso, deseja seguir focado na economia e na tentativa de aprovar a reforma da Previdência Social.

Agricultura e pré-sal

Na terça-feira (30), Temer viaja para a cidade de Rio Verde, em Goiás, onde anunciará a liberação de recursos para financiamento do pré-custeio da safra 2018-2019. Na quarta-feira (31), ele participará de uma cerimônia no Palácio do Planalto para a assinatura dos contratos referentes ao último leilão do pré-sal.

 

Comentários