Defesa de Sérgio Moro diz que vídeo confirma “integralmente” acusações do ex-ministro contra Bolsonaro

Após ter acesso ao vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, a defesa do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro divulgou uma nota, nesta terça-feira (12), na qual afirma que a gravação confirma “integralmente” as declarações do ex-juiz sobre as supostas tentativas de interferência do presidente Jair Bolsonaro na PF (Polícia Federal).

Em depoimento à PF após deixar o governo, Moro disse que, na reunião, da qual participaram ministros e o presidente, Bolsonaro cobrou a substituição do superintendente da corporação no Rio e do então diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, além de relatórios de inteligência e informação da corporação.

O vídeo foi exibido nesta terça na PF em Brasília. Moro acompanhou presencialmente a exibição ao lado de integrantes da PGR (Procuradoria-Geral da República), advogados do ex-ministro e integrantes do governo federal e da PF.

“Assistimos ao vídeo da reunião interministerial ocorrida em 22 de abril. O material confirma integralmente as declarações do ex-ministro Sérgio Moro na entrevista coletiva de 24 de abril e no depoimento prestado à PF em 2 de maio”, afirmou o advogado Rodrigo Sanchez Rios.

“É de extrema relevância e interesse público que a íntegra desse vídeo venha à tona. Ela não possui menção a nenhum tema sensível à segurança nacional”, completou.

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou que as partes tivessem acesso ao vídeo, mas sem poder copiar o material.

Comentários