Delegacia de Polícia de Combate à Intolerância é inaugurada em Porto Alegre

Delegacia foi inaugurada pelo governador, pelo vice e pela chefe de Polícia. (Foto: Itamar Aguiar/Palácio Piratini)

Na data em que se celebra o Dia Internacional dos Direitos Humanos, foi inaugurada, nesta quinta-feira (10), em Porto Alegre, a DPCI (Delegacia de Polícia de Combate à Intolerância). O órgão, vinculado ao Departamento Estadual de Proteção aos Grupos Vulneráveis, fica na avenida Presidente Franklin Roosevelt, 981, no bairro São Geraldo.

A nova delegacia será responsável pela investigação de casos como os de racismo, homofobia e injúria qualificada, que, até então, ficavam sob apuração de várias delegacias não especializadas.

“Como Poder Público, nossa tarefa é tornar a vida das pessoas melhor a partir do respeito, da igualdade e da intolerância com a intolerância. Temos de ter mais amor, compaixão e, mais do que tolerância, reconhecimento da igualdade entre as pessoas, de que ninguém é melhor ou pior do que outro por conta de gênero, raça, crença, orientação sexual ou o que for. A diferença e diversidade da nossa sociedade é o que nos torna fortes. Me orgulho de estar em um governo que não apenas enfrenta a crise fiscal do Estado, que não apenas busca abrir espaço para investimento em obras físicas, mas que luta efetivamente para termos uma sociedade melhor. São ações como essa, de inauguração de uma delegacia especializada em crimes de intolerância, que mostram que não toleramos quem é intolerante e que vamos dar consequência a esses crimes de forma exemplar e pedagógica”, afirmou o governador Eduardo Leite.

A titular da nova delegacia, delegada Andréa Mattos, esclarece que o público-alvo da DPCI será toda pessoa vítima de preconceito ou discriminação de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, orientação sexual, identidade de gênero ou em razão de deficiência.

“Infelizmente, a intolerância se faz, nos dias atuais, muito mais presente. Deveríamos evoluir, e me parece que o que vemos é o contrário. O combate à intolerância e ao preconceito é fundamental e requer atuação especializada, como essa que teremos aqui”, destacou o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior.

Para a chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor, primeira mulher a assumir o mais alto posto na história da instituição, a inauguração da DPCI simboliza a concretização do empenho para tornar mais qualificada a luta contra os crimes de intolerância no Estado. “Era uma promessa desde que assumi a chefia. O órgão nasce com uma visão diferenciada para as vítimas de crimes de intolerância, cuja violência nem sempre é física ou deixa marcas visíveis e, mesmo assim, pode ter repercussões avassaladoras”, disse Nadine.

A DPCI da Capital é a nona delegacia de polícia do País com dedicação exclusiva para investigação de delitos ligados a atos de discriminação. No final de 2019, foram iniciadas as atividades da Delegacia do Idoso e de Combate à Intolerância em Santa Maria, na Regional Central. Fora do RS, existem outras sete delegacias com atribuições semelhantes: em Minas Gerais (2), Rio de Janeiro, São Paulo, Piauí, Paraíba e Distrito Federal.

Comentários