Denunciados quatro homens pela morte de motorista de Uber em Canoas

Conforme as investigações, a morte foi encomendada porque o motorista  havia entrado com ação trabalhista. (Foto: Reprodução)

A Promotoria de Justiça Criminal de Canoas denunciou o empresário e taxista José Martins da Cunha, conhecido como Zé Gaiola, além dos comparsas Marino Vargas, Ismael Ramalho Cardoso e Jacson Pinheiro de Quadros, pela morte do motorista de Uber Fábio Silva da Fontoura.

Conforme as investigações, a morte foi encomendada pelo taxista porque Fábio, que foi seu funcionário, havia entrado com ação trabalhista na Justiça do Trabalho. Por intermédio do trabalhador da construção civil Marino Vargas, ele contratou o mecânico e eletricista Ismael Ramalho Cardoso e o pedreiro Jacson Pinheiro de Quadros para assassinarem Fábio.

Crime

Em 24 de agosto deste ano, por volta das 21h, Fábio recebeu uma ligação telefônica para atender a uma corrida de carro – ele não estava utilizando o aplicativo da Uber naquele momento e faria, portanto, uma corrida particular.

Chegando ao local onde pegaria o suposto passageiro, na rua dos Guamirins, na Vila Igara, em Canoas, Ismael e Jacson surpreenderam Fábio e atiraram pelo menos seis vezes contra ele, que morreu no local. Em seguida, os dois fugiram no Del Rey de Ismael.

Todos os envolvidos foram capturados. O MP (Ministério Público) manifestou-se favorável ao pedido da Polícia Civil para a conversão em preventivas as prisões temporárias dos quatro.

Comentários

26 Comentários

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.