Deputado Ernani Polo assume a presidência da Assembleia Legislativa gaúcha

“Fui forjado trabalhando no campo, de sol a sol, plantando e colhendo”, disse Ernani Polo
Foto: Joel Vargas

Tomou posse na manhã desta segunda-feira o novo presidente da Assembleia Legislativa do RS, o deputado Ernani Polo, que estará à frente do Parlamento Gaúcho até o dia 31 de março de 2021. Casa lotada, com a presença do governador do Estado Eduardo Leite e demais autoridades do cenário local, estadual e nacional, a cerimônia foi aberta pelo deputado Luís Augusto Lara, que ao repassar o cargo fez um balanço de sua gestão, lembrando que estiveram ao seu lado ao longo de 2019 representantes de 17 partidos, o maior número na história da AL.

Lara mencionou também a economia nos cofres do Parlamento na ordem de 148 milhões de reais, número também histórico, além de aprovações relevantes ao desenvolvimento do Estado, como a do novo Código Ambiental, congelamento dos salários dos deputados, PEC das Estatais, Reforma da Previdência dos servidores, entre outras. “Depois de muita discussão e muito diálogo, abrimos caminho para que as reformas no Rio Grande do Sul aconteçam”.

Representação popular
“Venho lá de longe, venho lá de fora. Fui forjado trabalhando no campo, de sol a sol, plantando e colhendo – e, muitas vezes, até plantando sem colher (inclusive como está acontecendo agora, em virtude da estiagem – motivo pelo qual me solidarizo com os agricultores gaúchos, que perderam sua produção pela falta de chuva). O campo me ensinou que precisamos fazer da melhor maneira possível aquilo que está ao nosso alcance. E é nesse trabalho sério e realista que queremos aprimorar ainda mais o vínculo da Assembleia com a sociedade gaúcha”. Com estas palavras, o deputado Ernani Polo iniciou sua explanação, lembrando que “antes de tudo, da essência da nossa missão: a representação popular. Nós, deputados, somos quadros políticos singulares, mas estamos aqui em nome da sociedade gaúcha – que é plural, diversa e ampla. Acima de nossas individualidades, vem o interesse público”.

O tema central desta gestão será a competitividade. Polo destacou que “alguém pode até estranhar que a Assembleia traga essa pauta como prioridade. Nosso objetivo é que o Parlamento, sem desmerecer o bom debate democrático, esteja também próximo da economia e de mudanças que gerem resultado no dia a dia da sociedade. Uma das nossas metas centrais, em plena era digital, é diminuir a burocracia e estimular a simplicidade. Acredito firmemente que, muitas vezes, as grandes mudanças nascem de ideias simples”. Ele citou Charles Darwin, reiterando que “não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças”.

A pergunta que entra na pauta do Parlamento Gaúcho a partir de agora, segundo Polo, é o que a Assembleia pode fazer, na prática, para melhorar a competitividade do Rio Grande do Sul? “Vamos mapear desafios e estabelecer indicadores objetivos para medir nosso trabalho. Onde, o quê, como e em quanto tempo podemos ajudar nesse sentido? Que legislação ainda precisa ser modernizada? Em que causas precisamos nos envolver politicamente para estimular o desenvolvimento? O que ainda precisa ser modernizado na estrutura do Estado? O que está ao nosso alcance? O que depende de nós na prática? Para promover o equilíbrio das contas públicas, além de diminuir o custo da máquina, precisamos aumentar a receita – e isso significa desenvolvimento. O melhor remédio para resolver os problemas estruturais do Rio Grande, inclusive o de salários, atende pelo nome de progresso. O Brasil desenha um viés de crescimento, e o Rio Grande precisa sair na frente nessa nova fase. A competitividade de um Estado é determinante para a capacidade de atrair investimentos e gerar novos negócios”.

Confiança
Ernani Polo defendeu a força do Estado, representada por seu povo, solo fértil e clima, agropecuária vasta e diversificada, comércio, indústria, serviços, polos de inovação, saúde, turismo, entre outras virtudes e potenciais do RS. “Precisamos superar tanta desconfiança – das pessoas entre si, das instituições, dos poderes e das organizações sociais. Não é desconfiando mais que nós vamos avançar. É confiando mais que vamos crescer e nos desenvolver. Precisamos acreditar mais uns nos outros; acreditar mais em quem quer empreender. O princípio da boa-fé deve nos guiar. Que o nosso bairrismo, tão criticado, seja transformado em confiança: gaúchos confiando mais em gaúchos.
Podemos até pensar diferente como políticos, mas nada impede que caminhemos juntos como gaúchos – como família. Estamos cansados de empilhar problemas. Chegou a hora, e já começamos, a empilhar soluções. Nesse sentido, estaremos ao lado das pautas de recuperação do nosso Estado e buscando soluções para promover o desenvolvimento econômico e social para os mais de 11 milhões de gaúchos”.

Ao encerrar seu discurso de posse, Ernani Polo destacou o Movimento CresceRS e a Campanha Valores que Ficam, implantadas na gestão de Luis Augusto Lara Lara, “grandes exemplos do quanto podemos ser úteis”. Segundo ele, as iniciativas serão mantidas e aprimoradas dentro da cultura de continuidade, que precisamos adotar em todas as nossas instituições. “Não vou mudar de nome só para chamar de meu; não tem nada mais atrasado do que isso. Os programas são nossos, dos gaúchos – e assim continuarão”.

Mesa Diretora

Durante a cerimônia, também foi empossada a Mesa Diretória da Assembleia Legislativa para a próxima gestão, composta pelos deputados José Nunes (1º vice-presidente), Franciane Bayer (2º vice-presidente), Gabriel Souza (1º secretário), Dirceu Franciscon (2º secretário), Zilá Breiteincach (3º secretário) e Luiz Marenco (4º secretário).

Comentários