“Deve ser hoje, mais tardar amanhã”, diz ministro da Saúde sobre a sua saída do cargo

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou nesta quinta-feira (16) que deve sair do comando da pasta em breve. “Deve ser hoje, mais tardar amanhã, mas, enfim, isso deve se concretizar”, disse em uma conferência on-line.

“Então, ele [o vírus] não negocia, ele não dá trégua, ele se impõe. Aqueles que querem neglicenciá-lo acabam sendo atropelados pela maneira como ele se comporta. Nós temos uma perspectiva de troca aqui no ministério. Deve ser hoje, mais tardar amanhã, mas, enfim, isso deve ser concretizar. Nós vamos ter todo o cuidado porque o nosso foco é o vírus e nós vamos ter todo o cuidado para amparar quem quer que seja que venha para cá, nós não vamos fazer nenhum movimento brusco. Eu acho que eu sou uma peça menor dessa engrenagem, dessa equipe que tem aqui, eu escolhi a equipe basicamente por gente concursada, que é do corpo de técnicos do ministério”, afirmou Mandetta.

O ministro da Saúde admitiu que há divergências entre ele o presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus. Na manhã desta quinta, Bolsonaro convidou o oncologista carioca Nelson Teich para conversar. Ele é cotado para assumir a vaga de Mandetta.

Perguntado sobre o que faria após deixar o ministério, Mandetta afirmou que ainda pensa no curto prazo e que irá contribuir com quem assumir a pasta.

Comentários