Dilma é intimada a depor em defesa de Marcelo Odebrecht

A ex-presidente Dilma não é alvo de nenhum processo da Lava Jato. Será ouvida como testemunha. (Foto: Reprodução)

A ex-presidente Dilma Rousseff foi notificada a depor em ação penal aberta pelo juiz federal Sergio Moro, dos processos da Operação Lava-Jato, em Curitiba (PR), como testemunha de defesa do empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht.

O dono do Grupo Odebrecht – preso desde 19 de junho de 2015, em Curitiba – é réu no processo, acusado de pagar propina para o ex-ministro Antonio Palocci. Novo delator da Lava-Jato, Odebrecht arrolou a ex-presidente como testemunha de defesa.

Dilma terá que comparecer na sala de videoconferências da Justiça Federal, em Porto Alegre, no dia 24, para ser ouvida por Moro – será a primeira vez que ela fala ao juiz da Lava-Jato.

No ano passado, quando ainda era presidente, Moro havia determinado que ela fosse ouvida por escrito. “[Dilma] Será ouvida na qualidade de testemunha arrolada pela Defesa de Marcelo Bahia Odebrecht, acerca dos fatos narrados na denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal”, informa o mandado de notificação, da 13ª Vara Federal de Curitiba.

A ex-presidente Dilma não é alvo de nenhum processo da Lava Jato, em Curitiba. As planilhas de pagamentos a Palocci, no entanto, indicam o “Evento14” como possível referência às despesas de campanha de reeleição da petista, em 2014.

Comentários

Comentários

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.