Donos de empreiteira são presos por suspeita de estelionato em Pelotas

Empresários, donos de uma construtora, são suspeitos de aplicar golpes em pelo menos seis famílias em Pelotas. Segundo a polícia, a empresa Júnior Rodeghiero recebia dinheiro para construir as casas, mas utilizava materiais de baixa qualidade, não entregava as obras dentro do prazo e induzia o cliente a desistir do empreendimento.

A primeira vítima denunciou o caso para o advogado Vinícius Dutra, em agosto de 2018. “Desde então comecei a receber outras denúncias e verifiquei que a prática da empresa era reiterada”, relatou Vinícius. Foram pelo menos 8 pessoas que procuraram o advogado dando queixa de que a empresa havia abandonado algumas obras.

Empresa usava produtos de baixa qualidade nas obras. (Foto: Vinícius Dutra)

Só entre as seis famílias identificadas pela polícia na mesma situação, o prejuízo passa de R$ 1 milhão. Segundo as investigações, os clientes eram forçados a fazer pagamentos antecipados e, depois, induzidos a desistir das obras.
O advogado aponta que pelo menos dois clientes já recorreram judicialmente para exigir uma indenização. Com o desfecho do inquérito, ele prevê que “outras vítimas comecem a procurar ressarcimento pelo prejuízo que tiveram”.

O inquérito foi encaminhado à Polícia Civil de Pelotas. Na última semana, a polícia apreendeu documentos e celulares na sede da empresa. O empreiteiro, que não teve o nome divulgado, e a esposa foram presos preventivamente. A empresa estava no nome da mulher. Eles serão indiciados por estelionato.

Comentários