Empresariado gaúcho consegue fechar negócios de US$ 4,25 milhões no Chile

Empresários foram ao Chile em missão de negócios. (Divulgação Fiergs)

A missão empresarial ao Chile foi positiva, conforme avaliação do líder da comitiva Gilberto Porcello Petry, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs). O grupo retorna a Porto Alegre, nesta sexta-feira (7), com US$ 4,25 milhões em negócios fechados ou alinhados para os próximos 12 meses.

“Os objetivos foram alcançados, volto satisfeito, e as empresas e os investidores chilenos na Sofofa (Sociedade de Fomento Fabril) também se manifestaram dessa forma”, afirma Petry. Foram realizadas duas rodadas e 89 reuniões, previamente agendadas entre 15 empresas gaúchas e empresas e investidores chilenos. Um dos resultados obtidos foi o da Cerealista Polisul, de Pelotas, que conseguiu fechar venda de arroz ao mercado daquele país. “Nas missões da FIERGS sempre procuramos proporcionar visitas técnicas a empresas de referência como uma fonte de trocas de experiências, seja em processos produtivos, modelos de gestão ou internacionalização”, Explicou o líder do empresariado na ocasião.

Com o governo do Estado, que esteve na missão, até quarta-feira, representado pelo governador Eduardo Leite e secretários, a chilena Ultramar acertou a expansão das operações no Porto de Rio Grande, em um investimento de aproximadamente R$ 300 milhões. O plano é aumentar a área ocupada atualmente para poder escoar a produção de madeira e celulose. Ao mesmo tempo, a CMPC Celulose, já instalada na cidade de Guaíba, mantém o plano de ampliação de seu investimento no País, e o Rio Grande do Sul é candidato a receber o projeto.

Também foi trabalhada a facilitação do fluxo de comércio das empresas gaúchas no Chile, pelo Banco do Brasil; e os negócios com empresas como Costanera Center & Cencosud, e Agrosuper. Os empresários ainda visitaram o escritório local da Tramontina.

Cenário comercial


A balança comercial entre o Rio Grande do Sul e o Chile teve um saldo de mais de US$ 346 milhões, em 2018. O país é o sexto destino das exportações gaúchas. No último ano, os veículos (US$ 206,54 milhões), foram o principal item vendido pelo RS aos chilenos, representando 42,17% do total da pauta. Já importados do Chile se destacam os produtos químicos orgânicos (US$ 41,68 milhões), 29% do total.

Comentários