Empresários farão contra-proposta nesta terça-feira sobre reabertura da economia em Porto Alegre

Prefeito Nelson Marchezan Jr. sofre pressão para liberar comércio. (Foto: Anselmo Cunha/PMPA)

Após uma reunião por videoconferência, considerada tensa, com o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr., na tarde desta segunda-feira (03), entidades empresariais realizaram encontros virtuais com representantes de cada segmentos durante a noite.

O objetivo era elaborar uma contraproposta do Executivo, de realizar uma retomada gradual das atividades econômicas na cidade, de acordo com perigo de contágio. As reuniões, em algumas associações, entraram a madrugada.

Segundo o presidente do Sindilojas, Paulo Kruse, a decisão das entidades só vai ser divulgada após ser apresentada ao prefeito, em nova reunião que deve acontecer nesta terça (04), ainda sem horário definido.

Ele limitou-se a dizer que é bem diferente da proposta apresentada na primeira reunião. A proposta da Prefeitura é definir um calendário com a retomada inicial pela construção civil e indústria, setores com menor impacto direto na circulação de pessoas, para que, após, outras atividades possam reabrir de forma escalonada, semanalmente.

O presidente do Sinduscon-RS (Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul), Aquiles Dal Molin, também não revelou o teor da contraproposta, construída a partir dos “ajustes de cada entidade”, a fim de que um consenso seja mostrado ao prefeito.

Já o presidente da CDL POA (Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre), Irio Piva, reiterou que as tratativas ainda podem prosseguir. “Cada entidade participante ficou com a missão de reunir seus membros para equalizar esses pontos. A pauta está toda em suspenso e não é possível analisar neste ponto em que está”, disse o dirigente, que ressalta o esforço do setor, em “um caminho que parece avançar”.

Comentários