Entidades do agronegócio repudiaram declarações de Lula sobre produtores rurais durante caravana pelo Rio Grande do Sul

A Farsul (Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul) e outras entidades do agronegócio emitiram notas criticando as declarações do ex-presidente Lula sobre os produtores rurais durante a caravana do petista pelo Estado.

Alvo de protestos de ruralistas, o petista chamou os grandes fazendeiros de ingratos e caloteiros. Lula declarou que quando se consegue dar R$ 10 para uma pessoa humilde ela será grata para o resto da vida. Já os fazendeiros, quando obtêm financiamento milionário para compra de maquinários, “não só são mal-agradecidos como passam a vida falando mal do PT”.

Ele disse ainda que os fazendeiros têm dois prazeres: quando recebem o dinheiro e quando dão calote. “Se eles tratassem os empregados como tratam os cavalos, os empregados estariam muito bem de vida”, criticou Lula.

A Farsul afirmou que “o ex-presidente nunca doou ou emprestou nenhum recurso seu aos produtores rurais. Os valores tomados junto ao sistema financeiro em forma de crédito rural têm como fontes os depósitos à vista e a poupança das instituições financeiras, que assumem integralmente os riscos de inadimplência, recebendo em contrapartida os juros pagos pelos produtores rurais. Logo, o dinheiro que financia o agronegócio não é do governo e, muito menos, do ex-presidente, mas dos agentes financeiros. O ex-presidente, mesmo condenado em segunda instância, ainda não aprendeu a diferenciar os recursos seus, do governo e da sociedade”.

“Por fim, a Farsul não aceita que um ex-presidente que conhece a realidade do País demonstre tamanho preconceito com esses brasileiros que trabalharam sol a sol, fazendo a economia crescer, inclusive no período do seu governo”, prosseguiu a entidade.

Federarroz

A Federarroz (Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul) manifestou “perplexidade e total descontentamento em relação às manifestações realizadas pelo ex-presidente referentes aos homens do campo,  produtores e empresários rurais”. A entidade afirmou que “cabe ressaltar que, além de não contribuírem com o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e solidária, servindo apenas e tão somente para aprofundar polarizações calcadas em ideologias que, indubitavelmente, em nada interessam ao povo brasileiro, convém salientar que todos os financiamentos agrícolas possuem regras bastante rígidas e consequências aos mutuários no caso de inadimplência”.

Cavalos crioulos

A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos afirmou que reprova e rejeita esse tipo de posicionamento do ex-presidente, que “transmite uma falsa e equivocada visão do produtor rural como um todo, aquele que trabalha diariamente de sol a sol para produzir o alimento que vai a mesa de mais de 200 milhões de brasileiros”.

“A raça crioula sempre foi um ambiente familiar e de amizade entre as pessoas envolvidas com a atividade, no qual os funcionários são parte valorosa e fundamental. Eles são a base do trabalho e do desempenho que o cavalo crioulo vem conquistando ao longo dos anos Brasil afora”, prosseguiu a entidade.

 

Comentários