Escolhido por Bolsonaro, Carlos Bulhões toma posse como novo reitor da UFRGS

Vice-reitora Patricia Pranke e o reitor Carlos Bulhões. (Foto: Divulgação)

O professor Carlos André Bulhões foi empossado, na manhã desta segunda-feira (21), no cargo de reitor da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) para o período de 2020 a 2024. O termo de posse da nova vice-reitora, professora Patricia Pranke, será efetivado no dia 29 deste mês, conforme orientação do Ministério da Educação.

Segundo o reitor, o início dos trabalhos da nova gestão será marcado por muito diálogo e algumas modificações estratégicas na estrutura organizacional. “A soma da expertise do quadro funcional que permanece e dos novos colaboradores da Administração Central busca seguir a trajetória de excelência da UFRGS”, apontou Bulhões.

A agenda prevista para os primeiros dias do mandato contempla visitas do reitor a todas as unidades acadêmicas, buscando pacificar o ambiente institucional. “Para enfrentarmos as dificuldades que se apresentam no horizonte, precisaremos, mais do que nunca, resgatar o nosso propósito comum de seguir fazendo da UFRGS uma das maiores instituições de ensino superior deste País”, destacou o professor.

Nomeação e protestos

O presidente Jair Bolsonaro nomeou Bulhões como reitor da UFRGS na semana passada. O decreto foi publicado no Diário Oficial da União. A nomeação causou descontentamento em parte da comunidade acadêmica por Bulhões não ter sido o mais votado na eleição, que ocorreu de forma virtual devido à pandemia do novo coronavírus.

Os atuais reitor e vice-reitora da universidade, Rui Oppermann e Jane Tutikian, venceram o pleito. Em segundo lugar, ficou a chapa de Karla Maria Müller e Cláudia Wasserman. Já Bulhões e Patrícia Helena Lucas Pranke ficaram na terceira posição na consulta.

O DCE (Diretório Central dos Estudantes) da UFRGS realizou manifestações contra a nomeação de Bulhões, alegando intervenção do governo federal na universidade.

Comentários