“Está cheio de doutor sem emprego, mas é difícil ter um bom encanador passando fome”, afirma ministro Weintraub


Weintraub afirmou que prioridade do governo segue sendo o ensino primário e criticou universidades federais. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, voltou a criticar as universidades federais e defendeu o ensino técnico no Brasil. As declarações foram dadas nesta segunda-feira (07), em evento que ocorreu em São Paulo em prol da educação. Em ação, o governo entregou 180 ônibus escolares a 144 municípios do estado de São Paulo no programa do Ministério da Educação (MEC) chamado “Caminhos da Escola”.

“Está cheio de doutor sem emprego, mas é difícil ter um bom encanador passando fome ou na fila do Bolsa Família. É difícil um eletricista, um técnico bom, que não consegue se virar”, afirmou o ministro. Ainda segundo Weintraub, o governo federal deve lançar na terça (08) um novo programa para incentivar o ensino técnico no país, com o objetivo de aumentar em 80% o número de alunos nessa modalidade.

Sobre a educação infantil, que o governo defendeu ser sua prioridade, o ministro justificou que os gastos com as universidades federais são muito altos, o que impede o atendimento integral de todas as crianças que precisam de creche, por exemplo. “Cada universidade federal dessas grandes custa mais de R$ 3 bilhões por ano. Com uma delas a gente põe todas as crianças na creche na pré-escola”, afirmou. As universidades federais passaram por dois grandes contingenciamentos de verbas desde o começo deste ano. O MEC chegou a liberar dinheiro para a pasta na semana passada, mas R$ 3,8 bilhões seguem bloqueados.

Comentários