Estados Unidos chegam a acordo para plano de estímulo econômico de US$ 2 trilhões

Nos Estados Unidos, senadores dos partidos Republicano e Democrata e a Casa Branca chegaram, na madrugada desta quarta-feira (25), a um acordo sobre um plano federal de estímulos de US$ 2 trilhões (R$ 10,2 trilhões) para aliviar as consequências da pandemia do coronavírus sobre a economia do país. O pacote deverá auxiliar trabalhadores, empresas e o sistema de saúde.

“Por fim, temos um acordo”, afirmou o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, antes de citar um “nível de investimentos de tempos de guerra”.

O acordo, porém, ainda precisa ser afinado e detalhado. O pacote de estímulo poderá ser o mais amplo da história moderna americana. Ele deverá entrar em vigor em alguns dias.

Senado e Casa dos Representantes precisam aprovar a legislação antes de enviá-la à sanção do presidente Donald Trump.

O pacote prevê remuneração direta à maioria dos americanos, ampliação de benefícios de seguro-desemprego, dinheiro para estados e um programa de US$ 367 bilhões (R$ 1,87 trilhão) para pequenas empresas poderem remunerar funcionários que precisam ficar em casa para conter o contágio do coronavírus no país.

O coronavírus já matou cerca de 800 pessoas e infectou mais de 55 mil nos EUA, segundo balanço da Universidade Johns Hopkins.

Nos Estados Unidos, senadores dos partidos Republicano e Democrata e a Casa Branca chegaram, na madrugada desta quarta-feira (25), a um acordo sobre um plano federal de estímulos de US$ 2 trilhões (R$ 10,2 trilhões) para aliviar as consequências da pandemia do coronavírus sobre a economia do país. O pacote deverá auxiliar trabalhadores, empresas e o sistema de saúde.

“Por fim, temos um acordo”, afirmou o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, antes de citar um “nível de investimentos de tempos de guerra”.

O acordo, porém, ainda precisa ser afinado e detalhado. O pacote de estímulo poderá ser o mais amplo da história moderna americana. Ele deverá entrar em vigor em alguns dias.

Senado e Casa dos Representantes precisam aprovar a legislação antes de enviá-la à sanção do presidente Donald Trump.

O pacote prevê remuneração direta à maioria dos americanos, ampliação de benefícios de seguro-desemprego, dinheiro para estados e um programa de US$ 367 bilhões (R$ 1,87 trilhão) para pequenas empresas poderem remunerar funcionários que precisam ficar em casa para conter o contágio do coronavírus no país.

O coronavírus já matou cerca de 800 pessoas e infectou mais de 55 mil nos EUA, segundo balanço da Universidade Johns Hopkins.

Comentários