Familiares velam corpos de vítimas de ataque em Suzano

O movimento de pessoas que não são das famílias é grande. (Foto: Douglas Pires)

Entre choros e abraços, às 7h começou o velório coletivo no ginásio poliesportivo, que fica a menos de um quilômetro da escola, palco dos ataques. Cerca de 500 pessoas acompanham a cerimônia. O ministro da Educação, Ricardo Vélez, e o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, também estão no local.

Por volta das 14h está prevista a realização de uma missa ecumênica. Estão sendo velados os estudantes Cleiton Antonio Ribeiro, 17; Caio Oliveira, 15; Samuel Melquiades Silva de Oliveira, 16; e Kaio Lucas da Costa Limeira, 15. Também a inspetora de ensino Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 e a coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Umezu, 59 —que só será sepultada no sábado (16), quando um de seus filhos chega do exterior.

Duas famílias optaram por velórios separados. O estudante Douglas Murilo Celestino, 16, está sendo velado desde 1h, na igreja evangélica Assembleia de Deus, em Suzano. O velório do empresário Jorge Antonio Moraes, proprietário de uma revendedora de carros e tio de um dos atiradores, acontece desde a madrugada no cemitério Jardim Colina dos Ypês, onde será sepultado.

Os corpos dos atiradores Guilherme Taucci Monteiro, 17, e de Luiz Henrique de Castro, 25, continuam no IML (Instituto Médico Legal) de Mogi das Cruzes (Grande SP). Eles só sairão de lá após o enterro das vítimas.

Dois psiquiatras e um psicólogo serão enviados pela Secretaria Estadual da Saúde para auxiliar os familiares das vítimas, além de atuar com a equipe do Caps (Centro de Atenção Psicossocial) de Suzano, no atendimento aos envolvidos na tragédia.

Há ainda outros sete feridos hospitalizados. O estudante Anderson Carrilho de Brito, 15, foi transferido de Suzano para o Hospital das Clínicas, na capital paulista, mas segue em estado grave.

Comentários