Farmácias ampliam vacinação para outros públicos prioritários em Porto Alegre

Quarenta e cinco farmácias parceiras da prefeitura e 27 unidades de saúde possuem doses de vacina contra a gripe e irão atender o público-alvo da campanha nesta quarta-feira (22) em Porto Alegre.

Pessoas com doenças crônicas não transmissíveis – como diabetes, hipertensão, doenças respiratórias e cardíacas –, caminhoneiros, portuários, motoristas e cobradores de transporte coletivo fazem parte do grupo prioritário da segunda ase, iniciada dia 16.

Crianças com doenças crônicas devem se vacinar somente nas unidades de saúde, para seguir o acompanhamento e avaliação do calendário vacinal. Os demais grupos prioritários podem escolher onde preferem se vacinar, se nas farmácias ou unidades. Não haverá vacinação nos drive-thrus.

Idosos e trabalhadores de saúde que ainda não compareceram aos locais de atendimento podem se vacinar até o dia 22 de maio, data de término da campanha nacional. Já povos indígenas, profissionais das forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos cumprindo medida socioeducativa e população privada de liberdade possuem esquema diferenciado de vacinação.

No momento da vacinação, doentes crônicos devem apresentar identidade e documento médico que comprove a comorbidade (pode ser receita médica). Trabalhadores do público-alvo devem apresentar identidade funcional. A alta procura pela vacina pode provocar desabastecimento momentâneo nos locais de atendimento.

Números

Até as 17h de segunda-feira, dados do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações mostram que a prefeitura vacinou 210,4 mil idosos contra a gripe, ultrapassando a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde para esse público, que é de 191,7 mil pessoas acima de 60 anos.

Os números são parciais e sujeitos à revisão. Com relação a profissionais da saúde, foram administradas 89 mil doses, atingindo 100% desse grupo. Em Porto Alegre, o contingente estimado é de 213 mil para idosos e 82,4 mil para trabalhadores da saúde (295,4 mil pessoas). A meta era vacinar 90% desses totais.

Comentários