França e Irlanda ameaçam acordo com Mercosul devido às queimadas

O governo francês acusou, nesta sexta-feira (23), o presidente Jair Bolsonaro de ter mentido durante o encontro do G20 no Japão, em Osaka, em junho, sobre a situação climática do país, e sobre seu comprometimento em defesa do meio ambiente. Nessa quinta (22), o presidente da França, Emmanuel Macron, chegou a publicar em sua rede social um apelo para que o G7 discutisse, urgentemente, o caso dos incêndios na Amazônia.

As falas polêmicas do presidente Jair Bolsonaro e a situação das queimadas na Amazônia estão gerando desdobramentos pela Europa. Além do governo francês, a Irlanda também ameaçou bloquear o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia, firmado no mês de julho. De acordo com o primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, não existe possibilidade do país votar a favor do acordo entre UE e Mercosul se o Brasil não cumprir com seus deveres ambientais. A primeira-ministra alemã, Angela Merkel, também seguiu a linha de Macron e afirmou que o G7 deve discutir a questão das queimadas na Amazônia.

Acordo entre Mercosul e União Europeia

Após 20 anos de negociação, o Mercosul e a União Europeia finalizaram, em junho deste ano, as negociações para o acordo entre os dois blocos. Isso representa uma grande oportunidade econômica no cenário internacional e deve constituir uma das maiores áreas de livre comércio do mundo. O acordo ainda depende da aprovação do parlamento dos países envolvidos e inclui a implementação efetiva do Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas, que abrange o desmatamento e a redução da emissão de gases do efeito estufa.

Comentários