Fundo eleitoral: em meio à crise fiscal, Rodrigo Maia se posiciona contra aumento de verba 



Para Maia, não é o momento ideal para aumentar a verba destinada às campanhas eleitorais. (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, se posicionou contra o aumento de verba para o fundo eleitoral. De acordo com Maia, o momento é de crise fiscal, e não cabe aumentar as verbas para financiar as eleições municipais de 2020. Ainda segundo o presidente da Câmara, o ideal seria manter o mesmo valor da eleição de 2018, que, corrigido pela inflação, deve ficar em cerca de R$ 1,8 bilhão.

Os parlamentares do Congresso planejavam elevar a verba do fundo para mais de R$ 3 bilhões no próximo ano. A brecha foi adicionada no projeto que altera as regras eleitorais e que pode ser votado nesta semana pelo Senado. Esse projeto de lei permite o aumento do valor destinado aos partidos políticos nas eleições de 2020 e, ao mesmo tempo, diminui o controle sobre a forma como os partidos usam o dinheiro público. Entre os 50 artigos que irão mudar, o principal ponto é a forma como a Justiça Eleitoral fiscaliza o uso que os partidos fazem do Fundo Partidário, tornando o controle mais frouxo, de acordo com alguns críticos.

Comentários