Governador Sartori diz que núcleo federal e forças estaduais começam a atuar no Estado em fevereiro para reduzir homicídios e combater o crime organizado

Governador José Ivo Sartori durante entrevista ao programa Governo e Comunidade - Foto: Daniela Barcellos/Palácio Piratini)

O Rio Grande do Sul é um dos três estados pilotos – ao lado de Rio Grande do Norte e Sergipe – escolhidos pelo Ministério da Justiça para instalação de núcleos federais de inteligência. “O núcleo começa a atuar no Estado em fevereiro e contará com a integração das forças estaduais para reduzir homicídios e combater o crime organizado”, afirmou o governador José Ivo Sartori no programa Governo e Comunidade deste sábado (21).

Sobre o uso das Forças Armadas na vistoria de presídios, anunciada nessa semana pelo governo federal, Sartori disse que o assunto precisa ser melhor esclarecido, mas “toda ajuda é bem-vinda”. Enfatizou que as revistas nos presídios gaúchos são feitas pelo Gaes (Grupo de Apoio Especializado da Susepe) com suporte dos batalhões e pelotões de operações especiais da Brigada Militar.

“Estamos aumentando o efetivo da Susepe. Essa semana, lançamos edital para contratação de 720 novos agentes penitenciários. Com este reforço, esperamos abrir ainda neste ano os complexos prisionais de Canoas e de Guaíba”, acrescentou.

Piso nacional do magistério

Sartori confirmou que o Estado pagará, em parcela completiva, o reajuste de 7,64% sobre o piso nacional do magistério, que passa para R$ 2.298,80. O valor foi fixado nessa semana pelo Ministério da Educação. “Mas vale lembrar aqui que mais de 80% da categoria ganha salários acima do piso nacional”, ressaltou. A correção será dada aos professores estaduais com carga horária de 40 horas semanais.

Recordes

O governador também anunciou duas marcas históricas atingidas pelo governo em 2016. Uma delas foi com o montante de cobrança da dívida ativa. Outra foi na Consulta Popular. “Em 2016, recuperamos R$ 2,3 bilhões em cobranças de devedores do Estado. Isso equivale a quase duas folhas de pagamento do Executivo”, comemorou. Desde o início do governo, foram resgatados R$ 4,1 bilhões.

Com relação à Consulta Popular, apesar de o Estado enfrentar a mais grave crise financeira, o governo conseguiu de forma inédita honrar com as demandas eleitas pelos gaúchos no pleito 2015-2016. Sartori ressaltou que, dos R$ 60 milhões destinados à execução de projetos escolhidos como prioritárias nas regiões, 99,56% já foram entregues. “Vamos chegar aos 100% pela primeira vez na historia da Consulta Popular”, reforçou.

Para Sartori, essa conquista se deve a um valor político chamado transparência, que é uma marca deste governo. “Chega de falsas promessas para a população. Essa, sim, é a velha política, que precisa ser superada com a verdade”, frisou.

 

Comentários

800 Comentários

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.