Governo divulga nota sobre atuação de oficial de Justiça que interrompeu acendimento da chama crioula no Palácio Piratini

Sartori procedeu ao acendimento do candeeiro crioulo, ao som do Toque da Vitória. (Foto: Luiz Chaves/Palácio Piratini )

O acendimento da chama crioula, na manhã desta quarta-feira (14), no Palácio Piratini, em Porto Alegre, foi marcada pelo constrangimento.

Um oficial de Justiça interrompeu a solenidade que marca a abertura oficial da Semana Farroupilha no Rio Grande do Sul para entregar uma intimação ao governador José Ivo Sartori.

O presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Nairioli Callegaro, junto com os cavaleiros que percorreram diversos municípios desde Triunfo, entregaram a chama ao governador, que procedeu ao acendimento do candeeiro crioulo, ao som do Toque da Vitória, executado pelo clarim da Brigada Militar. Após o evento, Sartori saiu sem assinar o documento levado pelo oficial de Justiça.

Leia a nota do governo do Estado na íntegra:

“Sobre a atuação do oficial de Justiça que interrompeu a solenidade de Acendimento da Chama Crioula na manhã desta quarta-feira (14), no Palácio Piratini, o governo do Estado do Rio Grande do Sul reitera que é prática que as intimações judiciais direcionadas ao governador sejam inicialmente recebidas pela Casa Civil, por meio de sua Assessoria Jurídica, que adotará os procedimentos para assinatura pelo chefe do Executivo. Caso contrário, o Piratini ficaria impedido de administrar a agenda do governador.

O oficial de Justiça deve cumprir seu trabalho sem gerar tumulto no cotidiano do intimado, quanto mais do governador do Estado. Este oficial, além de contrariar essa prática, tentou, em ocasião anterior, ingressar diretamente no gabinete, onde o embaixador do Sri Lanka estava sendo recepcionado, em uma clara exorbitância.

Nesta quarta-feira, o comportamento se repetiu, desta vez interrompendo uma solenidade oficial, constrangendo governador, autoridades, representantes do Movimento Tradicionalista Gaúcho e imprensa. A motivação de tal atitude extrapola o cumprimento das funções jurídicas, que sempre são exercidas com serenidade e respeito por todos os oficiais. O Piratini reforça que o governador assinou todas as intimações que recebeu até o presente momento.”

Comentários

Comentários

33 Comentários

Adicione um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.