Governo Federal estuda “aluguel social” no programa Minha Casa Minha Vida

(Foto: Reprodução)

O governo federal estuda implantar um “aluguel social”, com tarifa acessível, para beneficiários do Minha Casa, Minha Vida. A informação foi afirmada pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto. Ele esteve em Petrolina, em Pernambuco, com o presidente Jair Bolsonaro. Camuto afirmou que as mudanças estão em estudo nas linhas de crédito destinadas a atender aos mais pobres, para famílias que acessam o programa por meio das chamadas “faixa 1” (com renda de até R$ 1.800) e “faixa 1,5” (com renda de até R$ 2.600).

Um dos principais problemas do programa, identificados pelo Ministério de Desenvolvimento Regional (MDR), é a comercialização irregular de casas. Em alguns casos, as famílias acabam vendendo os imóveis a outras pessoas para ganhar dinheiro, voltando à condição de vulnerabilidade. Com a nova mudança, a venda será impossibilitada, visto que a família poderá morar no imóvel, mas não terá o direito de posse, pois o imóvel pertencerá ao Estado.

Canuto disse ainda que o programa não deixará de existir, e segundo o MDR, o programa está sendo reformulado e a criação de uma mobilidade de aluguel social é uma das possibilidades de mudança.

Comentários