Governo lança portal com novos serviços digitais para a população gaúcha


“O digital é uma oportunidade de desburocratizar e retirar os tantos balcões pelos quais o cidadão precisa passar”, disse o governador Eduardo Leite. (Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)

Mais um passo para que o governo do Estado ofereça 100% dos serviços digitais foi dado na manhã desta quarta-feira (06). No Palácio Piratini, o governador Eduardo Leite, ao lado do secretário de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, fez o lançamento do portal unificado de serviços digitais, o rs.gov.br.

A plataforma é a porta de entrada para os serviços do Estado e centraliza 95 funcionalidades em um único endereço eletrônico. O nome, de fácil entendimento, remete a todo e qualquer canal governamental do Rio Grande do Sul.

Oito serviços são novidades:

Consulta da Situação de Perícias em Veículos (do Instituto-Geral de Perícias); Apresentação Virtual do Condutor (Detran RS); Guia Eletrônica de Pagamento para a Retirada de Veículo em Depósito (Detran RS); CRLV Digital (Detran RS); Escola RS (Secretaria da Educação); Chamar192 – Samu (Secretaria da Saúde); Gestão de Sistemas Sociais (Secretaria de Trabalho e Assistência Social); Alerta de Furto e Roubo (Secretaria da Segurança Pública).

A nova plataforma, de acordo com o governador, obedece ao conceito de governo digital que se baseia em algumas premissas. “Não podemos meramente reproduzir a burocracia analógica no digital. O digital é uma oportunidade de desburocratizar e de retirar os tantos balcões pelos quais o cidadão precisa passar para ter acesso a algum serviço”, disse Leite. “A vida é acelerada, e o Estado acabou ficando para trás. Essa plataforma oferece serviços na velocidade da vida dos gaúchos”, acrescentou.

O novo portal foi elaborado pela SGGE (Secretaria de Governança e Gestão Estratégica) com apoio das vinculadas EDP (Escritório de Desenvolvimento de Projetos) e Procergs (Companhia de Processamento de Dados do Estado).

Diferentemente das iniciativas anteriores, o rs.gov.br não é um aplicativo e, sim, um portal responsivo (adaptável a qualquer dispositivo, seja tablet, celular ou computador), que disponibiliza a carta de serviços digitais em um mesmo ambiente. Nele, o cidadão encontrará em destaque uma barra de pesquisa e as demandas mais acessadas, entre outras funcionalidades. O ambiente remete ao modelo do GOV.BR, portal do governo federal.

O secretário Gastal destacou que o programa permite que o cidadão tenha o governo na palma da mão – seja por meio de tablet, smartphone ou computador. “Mais do que um portal unificado, trata-se de um conceito de ressignificação da relação do Estado com todo cidadão gaúcho por meio da transformação digital. Continuamos com espaços físicos, mas, na tela, precisamos oferecer uma mesma plataforma. Queremos uma nova relação com o cidadão, na qual ele tem o protagonismo”, detalhou.

Essa postura aproxima o Estado das pessoas e valoriza a essência do poder público, que é a prestação de serviço. No momento, o governo tem 109 sites e 16 aplicativos. A intenção da atual gestão foi racionalizar esses diversos conteúdos e criar um caminho mais fácil e unificado.

Além da agilidade e da praticidade, a plataforma traz mais transparência. “Somos um governo transparente, que respeita o direito à informação. Também acreditamos na simplificação do Estado, dando uma prova de que queremos ser compreendidos e de forma didática. Essa plataforma conversa diretamente com a comunicação nesse sentido”, afirmou a secretária de Comunicação, Tânia Moreira.

A meta do governo é, até o final de 2022, disponibilizar todos os serviços do Poder Executivo de forma 100% digital. Hoje, segundo levantamento preliminar, dos 243 serviços existentes, 95 estão digitalizados.

A digitalização dos serviços é considerada fundamental também pelo contexto do país. Atualmente, no Brasil, a população é de 211 milhões de pessoas, e há 215 milhões de aparelhos de telefones celulares – o número corresponde a 102% de celulares em relação à população. Outro ponto é que cerca de 150 milhões de usuários utilizam serviços de internet.

TudoFácil

O atendimento presencial, para quem não tem acesso ou não tem interesse pelo meio digital, está sendo levado em conta nessa qualificação da prestação de serviço. As agências do TudoFácil seguirão seus atendimentos nos mesmos locais e horários.

Além disso, o governo avalia ampliar a rede de postos presenciais com entidades parceiras. Seriam pontos de atendimento físico em outras cidades do Estado com acesso ao rs.gov.br. Esse projeto é elaborado e coordenado pela SGGE e suas vinculadas.

Comentários